Emilio Morenatti/ Reuters
Emilio Morenatti/ Reuters

Verstappen e Hamilton trocam farpas antes do Grande Prêmio de Mônaco

No início da semana, chefe da McLaren disse que é questão de tempo para que pilotos se toquem na pista

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2021 | 17h39

A temporada 2021 da Fórmula 1 ainda promete disputa intensa entre o heptacampeão mundial Lewis Hamilton e um dos mais arrojados e promissores pilotos da categoria Max Verstappen. Com um carro mais equilibrado, a Red Bull tem conquistado bons resultados e se mantido sempre próxima à Mercedes. Nas quatro primeiras provas do ano, Hamilton e Verstappen dividiram as duas primeiras posições do pódio, com três vitórias para o britânico e uma para o holandês.

No último GP da Espanha, logo na primeira curva, os pilotos dividiram posição e quase tiveram um toque. Com a disputa parelha entre os dois, o chefe da McLaren, Zak Brown, disse que é questão de tempo para que ambos se envolvam em algum acidente. Caso os dois abandonassem uma prova, haveria maior possibilidade de vitória da equipe de Woking, de acordo com Brown.

"Penso que rivalidades são incríveis para o esporte. E ter esses dois caras envolvidos nisso é muito bom. Tomara que em algum ponto da temporada, isso crie uma oportunidade para nós. Porque creio que seja questão de tempo até que ambos não cedam espaço na curva 1 e abandonem", analisou o chefe da McLaren.

No entanto, o contexto da afirmação de Brown não foi levada em consideração nos bastidores do circo da Fórmula 1. Aos ouvidos do britânico e do holandês, a frase soou como se ambos estivessem conduzindo seus carros de maneira agressiva. Os dois se esquivam de qualquer agressividade nas pistas, mas não deixam de trocar farpas fora dela.

Perguntado sobre o tema, Lewis Hamilton afirmou que seu estilo de pilotagem é cauteloso, dado que o campeonato é longo e ainda há muitas corridas pela frente. Além disso, o britânico disse que Verstappen - que é mais jovem e possui menos quilometragem nas pistas - talvez ainda busque provar sua qualidade e por isso adota uma tocada mais combativa.

"Creio que tenho evitado os incidentes direitinho até agora. Mas ainda temos 19 corridas pela frente e pode acontecer. Talvez o Max sinta que tem muita coisa a provar. Eu não tenho essa mentalidade, penso mais no cenário geral. Para mim é uma maratona, e não uma corrida curta. E é com esse mentalidade que conquistei os números que tenho hoje", concluiu Hamilton. Provocado, Verstappen retrucou e ressaltou que ambos têm tido cuidado nos momentos de ultrapassagem.

"Eu não tenho nada a provar. E acho que evitar o contato é uma via de mão dupla. Então, ambos têm feito um bom trabalho, isso é fato. Mas corremos assim, de forma dura, e ambos evitaram contato, então vamos torcer para que possamos manter dessa forma", explicou.

Prejudicado pela estratégia adotada pela Red Bull, Verstappen viu o rival vencer em Barcelona e abrir vantagem no mundial de pilotos (94 a 80). Hamilton já venceu três vezes em Mônaco (2008, 2016 e 2019), enquanto o holandês não chegou sequer ao pódio nas cinco provas que fez por lá. No Principado, a briga pelas duas primeiras posições deve ficar novamente limitada à dupla. Nesta quinta-feira, às 6h30, ocorre o primeiro treino livre. A classificação será no sábado, às 10h. No mesmo horário, no domingo, será dada a largada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.