SHAWN THEW/ EFE
SHAWN THEW/ EFE

Verstappen faz corrida estratégica, segura Hamilton e vence GP dos Estados Unidos

Holandês perde posição logo na largada, mas estratégia de pit stop garante triunfo e ampliação da vantagem na liderança

Fabio Hecico, O Estado de S.Paulo

24 de outubro de 2021 | 17h52

Max Verstappen finalmente comemorou sua primeira vitória em Austin. O piloto holandês viu a estratégia de troca de pneus da Red Bull funcionar e após ficar duas vezes atrás de Lewis Hamilton no GP dos Estados Unidos, conseguiu subir ao local mais alto do pódio para ampliar sua vantagem na disputa do Mundial de Pilotos para 12 pontos, restando cinco provas.

O líder da temporada ganhou seu 18° GP e subiu para os 287,5 pontos. Hamilton, que garantiu o ponto extra pela melhor volta, agora soma 276,5 pontos. Depois de se estranharem no treino de sexta-feira, os rivais evitaram se cumprimentar ao fim da corrida como já haviam feito no treino classificatório.

A torcida invadiu a pista após a bandeirada para festejar uma corrida emocionante e com bela apresentação de holandês e inglês desde a largada. Enquanto Verstappen comemoravam, Hamilton não escondia a frustração pelo segundo lugar. Sergio Pérez completou o pódio.

Antes de a corrida iniciar, muitas celebridades apareceram na formação do grid, entre eles o ator Ben Stiller, o ex-jogador da NBA, Shaquille O'Neal, a tenista Serena Williams e o ex-piloto brasileiro Emerson Fittipaldi. Todos tietavam os pilotos e previam uma bela corrida.

A oitava vez na qual o holandês e o inglês largaram lado a lado na Fórmula 1 foi espetacular em Austin. Hamilton partiu com tudo para cima de Verstappen, que jogou o carro para cima do rival, mas não impediu a ultrapassagem antes da apertada curva um. Pérez chegou a brigar pelo segundo lugar, mas segurou para beneficiar o companheiro de Red Bull.

Verstappen sabia que não podia deixar o rival abrir e iniciou uma grande perseguição, com direito e revezamento entre ambos da volta mais rápida. O holandês excedeu o limite da pista antes da volta oito e recebeu o primeiro alerta do dia. Com três, ocorre punição com perda de segundos.

Apesar de a Red Bull estar mais rápida na pista de acordo com fala no rádio dos dois líderes do GP dos Estados Unidos, o líder do Mundial de Pilotos lamentava não conseguir brigar pela ultrapassagem. Variavam entre 6 e 8 milésimos de segundos.

Verstappen antecipou a troca de pneus para a volta 11 para tentar inverter a posição em estratégia dos boxes. Bastou o rival ir para a troca para o inglês mudar o discurso de que estava deslizando para o de "os pneus estão ok". Entrou para troca, contudo, três voltas depois. Hamilton não apenas perdeu a primeira colocação como ficou muito tempo para trás.

Os torcedores americanos, visivelmente torcendo pela Red Bull, fizeram enorme festa com a primeira passagem de Verstappen na frente. Se na pista sofria para ultrapassar, na troca de pneus não apenas recuperou a primeira colocação como ganhou mais de seis segundos de vantagem.

Livre na frente, Verstappen não conseguiu disparar como previa. Enquanto Alonso, Raikkonen e Giovinazzi travavam batalhas quentes por posições intermediárias, com direito a oponentes jogados para fora da pista, Hamilton diminuía a vantagem e chegou no meio da prova com pouco mais de três segundos atrás.

Com rendimento caindo, Verstappen novamente optou por entrar antes nos boxes. Perdeu o primeiro lugar, mas apostava em novamente ganhar tempo na pista com os pneus novos. Hamilton ficou 16 segundos na frente e chegou a pedir para não ser incomodado no rádio. Depois, repetii a fala que os pneus estavam bons, o que sugeria não entrar mais para troca, restando 22 voltas. Apenas blefe, pois a troca. Rio novamente.

Com pneus duros e mais resistentes, teria 18 voltas para tentar tirar na pista os nove segundos de desvantagem para evitar a primeira vitória de Verstappen nos Estados Unidos. A previsão da Mercedes era de colar faltando três voltas.

Com 10 voltas a vantagem era de 3,5 segundos e com Hamilton girando sempre mais rápido. Em terceiro, Sergio Pérez estava bem para trás, mas sem a presença no pódio ameaçada, pois tinha boa distância para Charles Leclerc, da Ferrari.

Restando as previstas três voltas, Hamilton estava próximo, mas não o suficiente para tentar brigar pela posição. Com quase dois segundos de vantagem, bastava ao holandês administrar sua vantagem cômoda, sem errar. E assim o fez, para bela festa dos quase 350 mil norte-americanos que lotaram as arquibancadas e optaram por torcer pelo Red Bull.

Restam cinco etapas para a decisão do título mais disputado dos últimos anos e os pilotos voltam à pista daqui duas semanas, no México. Depois ocorre o GP de São Paulo, entre os dias 12 e 14 de Novembro, em Interlagos.

Veja a classificação do GP dos Estados Unidos:

1º) Max Verstappen (HOL/Red Bull) em 1h34min36s552

2º) Lewis Hamilton (GBR/Mercedes, a 1s333

3º) Sergio Pérez (MEX/Red Bull), a 42s233

4º) Charles Leclerc (MON/Ferrari), a 52s246 volta

5º) Daniel Ricciardo (AUS/McLaren), a 1min16s854

6º) Valtteri Bottas (FIN/Mercedes), a 1min20s128

7º) Carlos Sainz (ESP/Ferrari), a 1min23s545

8º) Lando Norris (GBR/McLaren), a 1min24s395

9º) Yuki Tsunoda (JAP/AlphatTauri), a uma volta

10º) Sebastian Vettel (ALE/Aston Martin), a uma volta

11º) Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo), a uma volta

12º) Lance Stroll (CAN/Aston Martin), a uma volta

13º) Kimi Raikkonen (FIN/Alfa Romeo), a uma volta

14º) George Russell (GBR/Williams), a uma volta

15º) Nicholas Latifi (CAN/Williams), a uma volta

16º) Mick Schumacher (ALE/Haas), a duas voltas

17°) Nikita Mazepin (RUS/Haas),  a duas voltas

Não completaram a prova:

Pierre Gasly (FRA/AlphaTauri)

Esteban Ocon (FRA/Alpine)

Fernando Alonso (ESP/Alpine)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.