Geoff Caddick/EFE
Geoff Caddick/EFE

Vettel admite que entrada do Safety Car contribuiu para a vitória na Inglaterra

Piloto alemão venceu em Silverstone e encerrou hegemonia de Hamilton no circuito

Estadão Conteúdo

08 Julho 2018 | 15h10

O alemão Sebastian Vettel reconheceu que a entrada do Safety Car no final da corrida deste domingo no GP da Inglaterra colaborou para sua 51.ª vitória da carreira, sendo a quarta na temporada 2018 da Fórmula 1.

+ Vettel vence prova emocionante e acaba com hegemonia de Hamilton na Inglaterra

+ Hamilton ironiza toque da Ferrari no GP da Inglaterra: 'Tática interessante'

"Obviamente, o Safety Car apimentou as coisas", disse Vettel. Na 33.ª volta, Marcus Ericsson perdeu o controle em uma curva, saiu da pista e chocou-se na barreira de pneus. Após cinco voltas com o carro de segurança na pista, a relargada foi dada, mas logo depois, Carlos Sainz e Romain Grosjean se envolveram em acidente e o Safety Car precisou ser acionado novamente.

Quando o carro deixou novamente a pista, restavam dez voltas para o fim da prova. Imediatamente, Vettel, que perdera a liderança para Bottas na segunda parada para os boxes, iniciou o ataque e, a cinco voltas para o fim, o alemão aproveitou uma curva para a esquerda, se lançou em um pequeno espaço e recuperou a primeira posição para não mais perder.

"Acho que surpreendi o Valtteri e não tinha certeza de que conseguiria fazer a curva, mas fiz e funcionou realmente bem. Estou muito, muito feliz. Tenho que agradecer ao time por me apoiar e também às pessoas nos bastidores. Curti muito a corrida e acho que as pessoas também curtiram bastante. Foi um ótimo dia", afirmou.

Com a vitória, Vettel abriu vantagem na classificação geral. Ele agora tem 171 pontos, contra 163 de Lewis Hamilton, 116 de Kimi Raikkonen, 106 de Daniel Ricciardo e 93 de Max Verstappen. A primeira colocação também acabou com a hegemonia de Hamilton, que venceu nos últimos quatro anos na Inglaterra.

 

 

Mais conteúdo sobre:
Fórmula 1 Sebastian Vettel automobilismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.