Valdrin Xhemaj/EFE
Valdrin Xhemaj/EFE

Vettel comemora liderança, mas lamenta 3º lugar: 'Poderia ter sido melhor'

Alemão assumiu a ponta do Mundial de Pilotos, mesmo ficando atrás de Verstappen e Raikkonen

Estadão Conteúdo

01 Julho 2018 | 17h02

Sebastian Vettel deixou o circuito de Spielberg neste domingo com motivos para comemorar e lamentar. O alemão retomou a liderança do Mundial de Pilotos da Fórmula 1 ao terminar o GP da Áustria na terceira colocação. O piloto da Ferrari, contudo, acredita que o resultado "poderia ter sido melhor".

+ Verstappen vence na Áustria, Hamilton abandona e Vettel retoma a liderança

+ Mercedes lamenta 'dia doloroso' e Hamilton reclama de novo erro de estratégia

"Nós tínhamos um carro muito bom e exibindo um ritmo muito bom. Obviamente estou feliz pelo pódio. Acho que foi uma grande corrida. Mas, ao mesmo tempo, acho que poderíamos ter feito mais. Então, estou com sentimentos misturados", declarou Vettel, que terminou a prova a 3s5 do vencedor Max Verstappen e a 1s6 do finlandês Kimi Raikkonen, seu companheiro de Ferrari.

A insatisfação do tetracampeão mundial teve início ainda no sábado, quando ele foi punido com a perda de três posições no grid de largada, por ter atrapalhando uma volta rápida do espanhol Carlos Sainz, da Renault, no treino classificatório. Assim, o alemão pulou do terceiro para o sexto posto na largada.

"Eu tive boas disputas com os carros da Renault e da Haas no começo da prova e perdi um pouco de tempo. Depois perdi um pouco mais no pit stop. Então, para nós a prova se tornou uma limitação de prejuízos. Mas acho que o ritmo estava muito bom, estávamos administrando bem os pneus. Foi um dia positivo, mas poderia ter sido melhor."

O saldo mais positivo para Vettel foi a retomada da liderança do campeonato. Ele anulou uma vantagem de 14 pontos do inglês Lewis Hamilton, que abandonou a prova por conta de problemas no motor de sua Mercedes, e reassumiu a primeira colocação. O alemão lidera por um ponto, com 146 contra 145 do rival.

Segundo colocado na Áustria, Kimi Raikkonen também deixou a corrida com a sensação de que poderia ter ido melhor. "Claro que esperávamos alcançar Max, mas quando surgiu a oportunidade, já era tarde demais", afirmou o finlandês. "Hoje tivemos a velocidade, mas não havia voltas suficientes na corrida..."

Apesar disso, ele exaltou a dobradinha da Ferrari no pódio, o que garantiu o time italiano na liderança do Mundial de Construtores, com 247 pontos, contra 237 da Mercedes. "O lado positivo da prova foi que, como um time, fizemos um trabalho muito sólido. Foi um fim de semana muito forte."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.