Srdjan Suki/EFE
Srdjan Suki/EFE

Vettel comemora 'ótimo' segundo lugar após 'corrida difícil' em Mônaco na F-1

Piloto alemão se beneficia de azarada corrida de Bottas, atrapalhado por Verstappen

Redação, Estadão Conteúdo

26 de maio de 2019 | 15h10

Sebastian Vettel terminou o GP de Mônaco da Fórmula 1 em terceiro, mas herdou o segundo posto por causa de punição a Max Verstappen. O holandês da Red Bull se chocou com o finlandês Valtteri Bottas, da Mercedes, na saída dos boxes e tomou gancho de cinco segundos, caindo para a quarta posição no resultado final. Com isso, o alemão da Ferrari ficou atrás do vencedor Lewis Hamilton, também da Mercedes. É a primeira corrida da temporada em que a escuderia germânica não emplaca uma dobradinha.

Nas primeiras cinco etapas, Hamilton e Bottas se alternaram nos dois primeiros lugares do pódio, deixando Ferrari e Red Bull na briga pelo terceiro posto. Em Mônaco, porém, a azarada corrida de Bottas, atrapalhado por Verstappen, impediu que o finlandês brigasse pelos dois primeiros lugares. Com isso, Vettel ficou em segundo.

E poderia ter sido primeiro, caso o ataque de Verstappen a Hamilton, no fim da prova, terminasse com alguma batida. O holandês chegou a tocar no britânico, que sofria com o desgaste de seus pneus médios, mas o pentacampeão conseguiu segurar o ímpeto do piloto da Red Bull e terminou à frente. De todo modo, Vettel se mostrou satisfeito com a segunda colocação no Principado.

"Obviamente foi um ótimo resultado para o time. Mas sabemos que ainda temos muito trabalho e que não estamos rápidos o suficiente", ponderou o tetracampeão mundial. Ele destacou ainda as dificuldades na prova monegasca. "Foi, obviamente, uma corrida difícil de administrar", disse o alemão, que também sofreu com o desgaste de pneus.

"Tive um pouco de dificuldades no final da corrida com meus pneus traseiros. Acho que não tive bolhas e creio que Lewis e Max estavam em uma posição pior, mas os meus compostos não estavam esquentando", relatou.

Vettel ainda pôde se aproveitar do incidente entre Verstappen e Bottas, que obrigou o finlandês a fazer mais uma parada. "Creio que fizemos uma boa parada, mas Max deve ter feito uma parada incrível, e então eu vi eles se tocarem no pitlane. Tive boa chance de aproveitar o furo de pneu de Valtteri, o que foi uma pena para ele", comentou o alemão, que lembrou de Niki Lauda após a prova.

"Acho que Niki estaria feliz hoje (domingo). Ele sempre estará por perto e sentiremos sua falta. Ele foi um ícone no passado e será lembrado no futuro", disse. Tricampeão mundial da F-1 e lenda do esporte a motor, Lauda morreu na última segunda-feira, aos 70 anos. Vettel usou um capacete especial em homenagem ao austríaco neste fim de semana.

Já seu companheiro Charles Leclerc, piloto da casa, teve uma corrida decepcionante. Depois de falha da Ferrari no treino classificatório de sábado, o monegasco teve que largar da 15.ª posição, o que complicou o fim de semana do jovem talento do time de Maranello. Na prova deste domingo, o ex-Sauber acabou se chocando com o alemão Nico Hulkenberg, da Renault, em tentativa de ultrapassagem. Com a colisão, Leclerc teve pneu furado e danificou o assoalho de seu carro, sendo obrigado a abandonar.

"Eu tinha que arriscar. Talvez eu pudesse esperar mais tempo (atrás de Hulkenberg), mas naquele momento eu vi o espaço e tentei, infelizmente minha corrida terminou ali", comentou o monegasco.

Apesar do erro, Leclerc ainda atribuiu o fim de semana ruim ao erro da Ferrari no treino classificatório. A escuderia italiana o deixou no box achando que a sua volta era suficiente, mas outros pilotos superaram o tempo do ferrarista no final do primeiro estágio da sessão (Q1) e ele não teve tempo para abrir outro giro veloz. "Há muitas lições a serem aprendidas, a primeira veio depois da qualificação e a segunda veio na corrida. Eu me diverti muito no início, mas não acabou bem", destacou.

"Certamente acho que o resultado de hoje (domingo) é uma consequência do que aconteceu ontem (sábado). Não tínhamos que começar da 15.ª posição. Agora que o fim de semana acabou, temos que analisar todos os dados e nos concentrar com a equipe para a próxima corrida", completou o piloto da casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.