Vettel evita falar do título, mas admite proximidade

Piloto da Red Bull garante que vai acelerar até a última corrida do calendário

AE, Agência Estado

26 de setembro de 2011 | 14h13

CINGAPURA - Apenas um décimo lugar é o que precisa o alemão Sebastian Vettel no GP do Japão, no dia 9 de outubro, para chegar ao título antecipado do Mundial de Fórmula 1 sem depender do resultado do inglês Jenson Button, único que ainda pode tirar-lhe a conquista. Assim, o piloto da Red Bull admitiu que está muito próximo do bicampeonato - ganhou também em 2010 -, mas disse que não quer "causar má sorte" por ficar falando no assunto.

"Obviamente nós estamos muito próximos do título, mas precisamos ficar tranquilos e falar sobre isso se a missão estiver completa. Estatisticamente, definitivamente não estamos longe, mas não queremos causar má sorte por falar demais no assunto", afirmou Vettel, depois de ganhar o GP de Cingapura domingo, quando somou a sua nona vitória na atual temporada. Vettel já faz parte do seleto grupo dos campeões mundiais. E vai escrevendo sua história na F-1.

Precisando de apenas um ponto para garantir o título de 2011, Vettel pode ser campeão já no GP do Japão. Mas, se não conseguir, ainda terá mais quatro etapas para confirmar a conquista. Mesmo com tamanha vantagem e com a possibilidade de sucesso antecipado, o alemão garante empenho total até o fim do campeonato. De acordo com ele, ao longo de todo o ano seu pensamento foi vencer as etapas e isso não mudaria neste momento.

"Continuamos focados, como estivemos durante a temporada, até a bandeirada final no Brasil (última etapa da temporada, no dia 27 de novembro). Já disse que estamos aqui para vencer corridas e quando isso acontece, o título é uma questão de tempo. Claro, estou orgulhoso das minhas 11 poles e nove vitórias deste ano e acho que fiquei tão aficionado a isto que não quero perder mais nenhum prova."

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Red BullSebastian Vettel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.