Nelson Antoine/AP
Nelson Antoine/AP

Vettel lamenta 4º lugar em Barcelona e reclama de 'falatório' da equipe via rádio

'Perdi o pódio, é uma pena, e tentei tudo para reagir. Mas, para sermos justos, só pude lutar com a Red Bull e foi difícil alcançar', revelou o piloto

Redação, Estadão Conteúdo

12 de maio de 2019 | 15h50

O piloto alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, não está mais conseguindo esconder a insatisfação por seu carro estar tão atrás da Mercedes e desabafou após terminar em quarto lugar no GP da Espanha de Fórmula 1, realizado em Barcelona, neste domingo. Após boa largada, na qual chegou a ultrapassar Valtteri Bottas na segunda posição momentaneamente, o alemão cometeu um erro que o fez cair para a quarta colocação.

"O quarto lugar não é ruim, mas se você larga em terceiro não é tão bom. Tentei algo na primeira curva para tentar movimentar as coisas, mas deixei os pneus travados na primeira curva e isso comprometeu minha corrida", lamentou Vettel. "Perdi o pódio, é uma pena, e tentei tudo para reagir. Mas, para sermos justos, só pude lutar com a Red Bull e foi difícil alcançar", reforçou.

Durante a coletiva após a corrida, Vettel expandiu sua explicação sobre a estratégia utilizada na prova. "Acho que tive uma chance de pódio, mas deixei o pneu travado na primeira curva e isso comprometeu minha corrida, mas queria tentar alguma coisa para movimentar as coisas. Sabia que não venceria a corrida na primeira curva, mas ao menos pensei que poderíamos movimentar as coisas com a Mercedes e depois lutar um pouco mais com todo mundo", disse o piloto.

O alemão também reclamou do excesso de comunicação via rádio da equipe, pedindo mais união e coesão da Ferrari durante as corridas. "Acho que tentamos fazer o trabalho juntos o máximo possível, mas, obviamente, toda vez que tentávamos fazer alguma coisa, teve muita conversa depois, o que talvez não tenha ajudado a ser um pouco mais reativo."

Já o monegasco Charles Leclerc, que terminou na quinta colocação, mesma posição que saiu no grid de largada, classificou a corrida deste domingo como desafiadora. "Eu tive certa dificuldade com o balanço do carro na parte final da corrida e perdi um pouco de confiança nele", explicou. "Nós temos muito trabalho pela frente para fechar essa diferença [entre Ferrari e Mercedes] e vamos trabalhar duro para isso acontecer", completou Leclerc.

A próxima prova na temporada da Fórmula 1 é o tradicional GP de Mônaco, que será realizado no dia 26 de maio, no circuito de Montecarlo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.