Johannes Eisele/AFP
Johannes Eisele/AFP

Vettel lamenta batida e 8º lugar, mas elogia Verstappen por pedido de desculpas

Piloto da Ferrari largou na pole no GP da China, mas foi acertado pelo holandês em tentativa de ultrapassagem

Estadão Conteúdo

15 de abril de 2018 | 11h14

O alemão Sebastian Vettel viveu um domingo para esquecer. Apesar de largar na pole position no GP da China de Fórmula 1, o piloto da Ferrari sofreu com uma série de acontecimentos e ainda foi prejudicado por um acidente causado por Max Verstappen, o que fez com que terminasse apenas na oitava colocação.

Confira a classificação do campeonato

Veja o calendário da temporada

Mais notícias de esportes a motor

Vettel liderou boa parte da prova, até ser ultrapassado por Valtteri Bottas. A entrada do Safety Car também prejudicou o alemão, que viu os concorrentes se aproximarem. Para encerrar, Verstappen errou na tentativa de ultrapassar o piloto da Ferrari, causou um acidente e o tirou da briga pelo triunfo.

"Eu tive sorte de terminar a corrida. Depois de uma batida como a que tive, acho que poderia ter parado ali. Obviamente, tive sorte de o carro ainda funcionar, apesar de o balanço ter acabado. Nós tínhamos certeza de que terminaríamos na frente, mas não terminamos. O momento do Safety Car foi ruim", considerou.

Vettel ainda tentou explicar o momento da batida com Verstappen. "Depois de ficar claro que a Red Bull estava mais veloz, achei que não havia muito sentido em resistir ao Daniel Ricciardo. E, então, o mesmo aconteceu com o Max. Dei espaço para ele, mas, obviamente, ele errou e nós batemos."

O alemão, no entanto, evitou criticar o adversário e exaltou a atitude de Verstappen, que após a prova o procurou para se desculpar. "Acho que ele percebeu que errou. Eu gostei do fato de ele ter me procurado prontamente, porque este é o jeito de resolver as coisas, cara a cara."

Companheiro de Vettel na Ferrari, Kimi Raikkonen terminou na terceira colocação, mas pareceu mais irritado que o alemão. O piloto finlandês também lamentou a entrada do Safety Car e considerou que tinha condições de conseguir pelo menos a segunda posição.

"Foi uma corrida bastante dolorosa e não foi muito divertida", afirmou. "Com certeza estávamos mais velozes que o Valtteri, mas quando você chega perto, fica mais difícil. Não consegui velocidade suficiente para ultrapassá-lo. Hoje, ficamos em terceiro, mas quando você larga na primeira fila, isso está longe do ideal."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.