Nelson Antoine/AP
Nelson Antoine/AP

Vettel lamenta último lugar no grid em Hockenheim: 'Gosto muito amargo'

Com largada prevista para as 10h10 deste domingo, o GP da Alemanha é a 11ª de 21 etapas da temporada da Fórmula 1

Redação, Estadao Conteudo

27 de julho de 2019 | 17h18

A relação do alemão Sebastian Vettel com o circuito de Hockenheim definitivamente não tem sido das melhores. Se em 2018 deixou escapar a primeira vitória da carreira em casa, no final do GP da Alemanha, pouco mais de um ano depois, neste sábado, o qualificatório desastroso que o deixou em último lugar no grid da prova neste domingo deixou o piloto bastante irritado.

No ano passado, a 15 voltas de vencer a corrida, Vettel cometeu uma falha que fez com que sua Ferrari escapasse da pista e fosse parar na caixa de brita. O erro custou a vitória no GP e a liderança do campeonato. Neste sábado, uma falha no turbo de seu carro logo no Q1 impediu o tetracampeão mundial de sair dos boxes, deixando-o em no 20º e último lugar na largada deste domingo.

"Obviamente, isto tudo tem um gosto muito amargo. Acho que o carro estava ótimo e perdi uma grande chance, mas espero que tenhamos um nova oportunidade amanhã (domingo)", disse o alemão, reforçando sua esperança numa mudança drástica de rumos na prova deste domingo. "Estou ansioso pela corrida, mas, claro, seria melhor começar bem na frente do que nas últimas posições. Vamos ver o que acontece."

O companheiro de equipe de Vettel, Charles Leclerc, também teve um sábado para ser esquecido na Alemanha. Uma falha no sistema de combustível no Q3 fará com que o piloto de Mônaco - que liderava nas duas atividades anteriores e despontava como favorito à pole - largue em décimo.

Diante do desempenho preocupante da escuderia italiana no qualificatório, o chefe da Ferrari, Mattia Binotto, tentou buscar explicações para o fracasso momentâneo dos carros vermelhos em Hockenheim.

"Estamos realizando uma análise profunda do que aconteceu. O que sabemos é que foram dois problemas completamente diferentes, nenhum dos quais já havia ocorrido antes", comentou o diretor, que lamentou ter causado o desapontamento causado aos pilotos e torcedores da equipe.

"Mostramos neste fim de semana que o nosso ritmo de corrida é bom, o que torna ainda mais frustrante o fato de não termos conseguido mostrar o que poderíamos fazer na qualificação", completou Binotto.

Com largada prevista para as 10h10 deste domingo, o GP da Alemanha é a 11ª de 21 etapas da temporada da Fórmula 1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.