Diego Azubel/EFE
Diego Azubel/EFE

Vettel minimiza vantagem inicial de Hamilton na Austrália: 'Difícil dizer algo'

Inglês da Mercedes foi melhor nos treinos livres

O Estado de S.Paulo

24 de março de 2017 | 14h58

Apontado como grande candidato a encerrar a hegemonia da Mercedes na Fórmula 1, Sebastian Vettel viu Lewis Hamilton mais uma vez à sua frente nesta sexta-feira. No primeiro dia de treinos livres para o GP da Austrália, que acontecerá no domingo, o piloto da Ferrari não conseguiu ser páreo para o inglês, que liderou as duas sessões. Ainda assim, minimizou o resultado.

"Na sexta-feira, é sempre difícil dizer muita coisa. De qualquer forma, foi legal estar de volta no cockpit. Nesta primeira sessão, nós tivemos alguns pequenos problemas que nos deixaram um pouco mais devagar, mas tudo foi melhor na segunda sessão", avaliou.

Vettel foi somente o sexto mais rápido na primeira sessão desta sexta, com o tempo de 1min25s464. Pela tarde, melhorou, conseguiu 1min24s167 e terminou na segunda posição, mas ainda bem atrás de Hamilton, o mais rápido do dia com a marca de 1min23s620, mais de meio segundo à frente do alemão.

Mais do que o resultado, Vettel lamentou os problemas enfrentados com sua Ferrari e cobrou evolução para o treino classificatório deste sábado. "Em relação ao balanço do carro, hoje não foi ruim, mas ainda há espaço para evolução. Os tempos da volta não significam nada. Apenas amanhã vamos saber melhor como estamos."

Companheiro de Vettel na Ferrari, Kimi Raikkonen foi um pouco mais lento do que o alemão. Na primeira sessão, até ficou em sua frente, na quinta posição, com 1min25s372, mas à tarde anotou 1min24s525 e foi somente o quarto colocado. Ainda assim, se mostrou feliz com o desempenho do carro.

"Nós podemos ficar satisfeitos, porque no geral o dia não foi ruim. Aprendemos muito com tudo e agora sabemos em que áreas precisamos melhorar. Em termos de desempenho, não podemos comparar com os testes de inverno, em partes porque é uma pista incomum e não produz um desenho claro da situação", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Ferrari

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.