Julian Smith/EFE
Julian Smith/EFE

Vettel prevê melhora da sua Ferrari na China e agradece Hamilton: 'Memória boa'

Alemão não começou bem a temporada, mas acredita que o carro pode evoluir nas próximas corridas

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2019 | 16h44

O início da temporada de 2019 da Fórmula 1 não está sendo nada bom para o alemão Sebastian Vettel. O piloto da Ferrari completou as duas primeiras etapas fora do pódio - quatro lugar na Austrália e quinto no Bahrein - e viu até o seu companheiro de equipe, o monegasco Charles Leclerc, recém-contratado, ter um desempenho melhor. Mas o tetracampeão mundial acredita em uma melhora de seu carro no GP da China, em Xangai, que marcará a 1.000ª corrida na história da categoria.

"Eu não fiquei feliz com minha performance no Bahrein, não estou feliz com o que sinto no carro, não é o que senti durante a pré-temporada", disse Vettel, nesta quinta-feira, dia de entrevista coletiva dos pilotos. "Sei que posso fazer melhor e sei que temos muitas corridas para mostrar e provar isso", declarou.

A Ferrari foi o grande destaque da pré-temporada da Fórmula 1, realizada em Barcelona, em fevereiro, mas não teve bons resultados nas duas primeiras corridas. Após a corrida do Bahrein, a categoria promoveu dois dias de testes coletivos no autódromo de Sakhir e Vettel percebeu uma melhora na confiabilidade dos carros da Ferrari.

"É normal que você nunca consiga o carro que você quer, então você sempre precisa se adaptar. São raras as corridas onde o carro é absolutamente bom e você não tem nada para reclamar", comentou. "Eu acho que o teste do Bahrein foi muito útil para dar voltas no carro. Aprendemos coisas sobre ele e o comportamento, coisa que não pudemos olhar em Barcelona porque estávamos vendo outras coisas. O carro era muito forte em Barcelona, então espero que me sinta melhor neste final de semana".

Na entrevista coletiva dos pilotos, o inglês Lewis Hamilton revelou que a disputa pelo título continuará sendo entre ele e Vettel. O alemão comentou que não sabia disso, mas ficou feliz ao saber que o rival da Mercedes não tem memória curta. "Não sabia que ele falou algo legal, mas é legal saber. Talvez ele seja o único que tenha uma boa memória. Estou há muito tempo e quanto mais quero bater o Lewis, mais ele quer me bater. Porém, algumas vezes você nunca sabe o que está acontecendo com as pessoas em outras equipes", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
Sebastian VettelFórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.