Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Rungroj Yongrit
Rungroj Yongrit

Vettel vence GP de Cingapura e supera marca de Senna

Lewis Hamilton e Felipe Massa abandonaram a prova

Estadão Conteúdo

20 de setembro de 2015 | 11h33

O alemão Sebastian Vettel mostrou todo o talento que fez dele tetracampeão mundial de Fórmula 1 e venceu o GP de Cingapura, neste domingo, de ponta a ponta. Sem maiores sustos, o piloto da Ferrari conquistou sua terceira vitória na temporada 2015, voltou a quebrar a hegemonia da Mercedes e entrou na briga por seu quinto título.

O fim de semana foi completo para Vettel, que largou na pole e praticamente não teve seu triunfo ameaçado. Ele é o único além dos pilotos da Mercedes a vencer na temporada 2015, uma vez que já havia subido ao lugar mais alto do pódio na Malásia e na Hungria.

De quebra, Vettel superou as 41 vitórias de Ayrton Senna, chegou à 42.ª e se tornou o terceiro piloto mais vitorioso da história da Fórmula 1, atrás somente de Michael Schumacher (91) e Alain Prost (51).

Quem também lutava para se equiparar a Senna era Lewis Hamilton. O líder do Mundial de Pilotos já havia perdido a chance de igualar as oito poles consecutivas do ex-piloto brasileiro e, com o abandono neste domingo, também desperdiçou a oportunidade de faturar sua 41.ª vitória, justamente em seu 161.º GP, mesmo número de provas disputadas por Senna.

A Mercedes, aliás, teve um fim de semana para esquecer. Além do abandono de Hamilton, viu Nico Rosberg ficar longe da briga pela vitória e terminar apenas em quarto. Melhor para os fãs da Fórmula 1, que viram a disputa pelo título esquentar. Hamilton segue líder, com 252, seguido por Rosberg, com 211, e Vettel, com 203.

Entre os brasileiros, o destaque deste domingo ficou por conta de Felipe Nasr, que chegou a figurar em oitavo, perdeu posições no boxe, mas mostrou arrojo na pista e foi recompensado com a décima colocação, que o fez chegar a 17 pontos, em 13.º. Felipe Massa, por sua vez, teve problemas no câmbio, se envolveu em acidente com Nico Hulkenberg e precisou abandonar. É o sexto, com 97 pontos.

E a prova até começou bem para Massa, que foi o único entre os dez primeiros a ganhar uma posição na largada, saltando de nono para oitavo. Vettel manteve a ponta com tranquilidade, seguido por Daniel Ricciardo. Kimi Raikkonen foi ameaçado por Daniil Kvyat, mas sustentou a terceira posição.

Enquanto Vettel arrancava e abria distância, a prova de Felipe Massa começava a ficar complicada na 13.ª volta, quando Hulkenberg bateu no brasileiro - o alemão inclusive foi considerado culpado pelo acidente e perderá três posições no grid para a próxima corrida.

Por conta do acidente, Massa chegou a ir para o pit stop uma vez a mais. O câmbio, então, começou a falhar e o brasileiro não demoraria a ser chamado pela Williams para abandonar a prova.

Os abandonos, aliás, deram o tom da prova. Após Massa, foi a vez de Lewis Hamilton, que perdia potência de forma evidente e já era o 16.º, deixar a corrida. Pouco depois, mais um capítulo na péssima temporada da McLaren. Fernando Alonso abandonou quando era o décimo e iria pontuar. O mesmo aconteceu com o outro piloto da equipe, Jenson Button.

Sem grandes ultrapassagens, o destaque da prova ficou por conta de um torcedor, que encontrou um buraco no alambrado e invadiu a pista, causando a entrada do Safety Car. Mas nada que assustasse ou colocasse em risco a liderança de Vettel, que viu Ricciardo tentar ameaçar no fim, mas sem potência para isso.

Mais atrás, Felipe Nasr se viu prejudicado com a perda de rendimento após a última parada nos boxes e caiu para 12.º. Mas o brasileiro se recuperou, conseguiu duas belas ultrapassagens sobre Pastor Maldonado e Romain Grosjean e pontuou pela quarta vez na temporada, a primeira nas últimas sete corridas.

Confira a classificação final do GP de Cingapura:

1º) Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) - 61 voltas em 2h01min22s118

2º) Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull) - a 1s478

3º) Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) - a 17s154

4º) Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - a 24s720

5º) Valtteri Bottas (FIN/Williams) - a 34s204

6º) Daniil Kvyat (RUS/Red Bull) - a 35s508

7º) Sergio Perez (MEX/Force India) - a 50s836

8º) Max Verstappen (HOL/Toro Rosso) - a 51s450

9º) Carlos Sainz (ESP/Toro Rosso) - a 52s860

10º) Felipe Nasr (BRA/Sauber) - a 1min30s045

11º) Marcus Ericsson (SUE/Sauber) - a 1min37s507

12º) Pastor Maldonado (VEN/Lotus) - a 1min37s718

13º) Romain Grosjean (FRA/Lotus) - não completou

14º) Alexander Rossi (EUA/Marussia) - a 2 voltas

15º) Will Stevens (ING/Marussia) - a 2 voltas

Abandonaram:

Jenson Button (ING/McLaren)

Fernando Alonso (ESP/Ferrari)

Lewis Hamilton (ING/Mercedes)

Felipe Massa (BRA/Williams)

Nico Hulkenberg (ALE/Force India)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.