Wallace Woon / EFE
Wallace Woon / EFE

Vettel vence em Cingapura, encerra jejum na Fórmula 1 e Ferrari faz dobradinha

Leclerc e Verstappen completaram o pódio, com Hamilton chegando apenas na quarta colocação

Redação, Estadão Conteúdo

22 de setembro de 2019 | 12h24

O GP de Cingapura foi marcado por encerramento de jejuns importantes. O alemão Sebastian Vettel venceu a corrida no traçado asiático neste domingo e voltou a triunfar na Fórmula 1 após mais de um ano, ou 22 corridas. A última vez que havia subido no lugar mais alto do pódio havia sido no GP da Bélgica de 2018.

O segundo colocado foi o monegasco Charles Leclerc, dando a dobradinha à Ferrari, primeira escuderia a conseguiu o feito em Cingapura. A escuderia italiana não colocava os seus pilotos nos dois primeiros lugares desde o GP da Hungria de 2017, vencido por Vettel e que teve Kimi Raikkonen, hoje na Alfa Romeo, no segundo posto.

Vettel chegou à sua 53ª vitória na carreira ao conseguir ter eficácia em sua estratégia de ser o primeiro dos líderes a fazer o pit stop. Com pneus novos, o alemão conseguiu superar o companheiro Leclerc e o inglês Lewis Hamilton, que chegaram a liderar a prova, mas não sustentaram a vantagem. O alemão havia sido justamente o último piloto da Ferrari a vencer em Cingapura, feito realizado em 2015, e soma, agora, cinco triunfos no GP asiático.

A redenção de Vettel após um período conturbado se dá também pela melhora da Ferrari nessa segunda parte da temporada da Fórmula 1. A equipe italiana trouxe atualizações importantes aos carros de seus dois pilotos e tem adotados estratégias inteligentes que deram resultados nas últimas três corridas, colocando um pouco de emoção no campeonato, antes todo dominado pela Mercedes.

"O início da temporada foi difícil para nós, mas nas últimas duas semanas, realmente nós voltamos a estar vivos", disse Vettel após o triunfo.

Com a evolução recente, a Ferrari venceu as últimas três provas consecutivas, duas com Leclerc e agora com Vettel, sequência que não acontecia desde a temporada de 2008, quando Kimi Raikkonen e Felipe Massa deram à escuderia quatro triunfos seguidos.

O holandês Max Verstappen, da Red Bull, que parou na mesma volta do que Vettel, completou o pódio na terceira colocação. A Mercedes, tida como favorita para vencer em Cingapura, teve um desempenho ruim e ficou fora do pódio pela segunda vez na temporada. A primeira havia sido no GP da Alemanha, vencido por Verstappen, em agosto.

Hamilton terminou a corrida em quarto e, apesar de não vencer há três corridas, ainda está confortável na liderança do Mundial de Pilotos. O pentacampeão soma 296 pontos e continua seguido na classificação geral pelo seu companheiro Valtteri Bottas, que soma 231 e terminou a prova em quinto. Leclerc e Verstappen, terceiro e quarto, têm 200 pontos e Vettel, o quinto, soma 194.

O tailandês Alexander Albon, da Red Bull, o inglês Lando Norris, da McLaren), o francês Pierre Gasly, da Toro Rosso, o alemão Nico Hulkenberg, da Renault, e o italiano Antonio Giovinazzi, da Alfa Romeo, completaram o Top 10.

Os pilotos voltam a acelerar no próximo final de semana, no GP da Rússia, a 16ª de 21 corridas da atual temporada da Fórmula 1.

 

Confira a classificação do GP de Cingapura:

1) Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), em 1min58min33s667

2) Charles Leclerc (MON/Ferrari), a 2s641

3) Max Verstappen (HOL/Red Bull), a 3s821

4) Lewis Hamilton (ING/Mercedes), a 4s608

5) Valtteri Bottas (FIN/Mercedes), a 6s119

6) Alexander Albon (TAI/Toro Rosso, a 11s663

7) Lando Norris (ING/McLaren), a 14s769

8) Pierre Gasly (FRA/Red Bull), a 15s547

9) Nico Hülkenberg (ALE/Renault), 16s718

10) Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo), a 17s855

11) Romain Grosjean (FRA/Haas), a 35s436

12) Carlos Sainz Jr. (ESP/McLaren), a 35s974

13) Lance Stroll (CAN/Racing Point), a 36s419

14) Daniel Ricciardo (AUS/Renault), a 37s660

15) Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso), a 38s178

16) Robert Kubica (POL/Williams), a 47s024

17) Kevin Magnussen (DIN/Haas), a 1min26s522.


Abandonaram a prova:

Kimi Raikkonen (FIN/Alfa Romeo)

George Russell (ING/Williams)

Sergio Pérez (MEX/Racing Point).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.