Vice em 2009, Red Bull exibe carro por título de 2010

É o modelo RB6, projetado por Adrian Newey como uma evolução natural do elogiado e copiado RB5

AE, Agência Estado

10 de fevereiro de 2010 | 09h44

Divulgação/Red Bull

O modelo RB6 tem um bico ainda mais fino e mais alto do que o carro do ano anterior na F-1

JEREZ DE LA FRONTERA, Espanha - A Red Bull se tornou, nesta quarta-feira, a última equipe entre as que disputaram o Mundial de de 2009 a apresentar o seu novo carro para a temporada de 2010 da Fórmula 1. Vice-campeã no ano passado, a escuderia exibiu o modelo RB6, projetado por Adrian Newey como uma evolução natural do elogiado RB5, que serviu de referência para carros desenhados por outras equipes da categoria.

Veja também:

link'Objetivo é subir um degrau', diz vice-campeão Vettel

O novo monoposto da Red Bull foi apresentado nos boxes do circuito de Jerez de la Frontera, na Espanha, que terá nesta quarta-feira a sua primeira sessão de testes coletivos das equipes da Fórmula 1.

Antes mesmo do seu lançamento oficial, a escuderia divulgou para a imprensa algumas imagens do seu novo carro, que traz como principais novidades um bico em V ainda mais radical do que o utilizado no RB5 de 2009, além de uma nova asa dianteira que espera auxiliar de forma mais eficiente o difusor duplo, usado pela equipe desde o ano passado.

Atrás, a nova tampa do motor se estende até o aerofólio traseiro de maneira uniforme, reta, diferentemente do que ocorre nos novos carros da McLaren e da Force India, por exemplo. Já a pintura do carro seguiu como a de 2009, com o azul escuro predominando sobre as outras cores.

O australiano Mark Webber será o primeiro piloto a dar as voltas iniciais com o RB6 em Jerez, depois de a Red Bull ter optado por ficar fora dos testes realizados pelas equipes da categoria em Valência, visando ter maior prazo para desenvolver o seu novo carro. Depois de Webber, o alemão Sebastian Vettel, atual vice-campeão do mundo, vai para a pista espanhola com o RB6.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.