Nigel Roddis/Reuters
Nigel Roddis/Reuters

Virgin deixará de patrocinar a Brawn GP em 2010

'Suspeito que no próximo ano o preço será astronômico e teremos que buscar outro lugar', diz Branson

EFE

21 de junho de 2009 | 11h46

SILVERSTONE - O dono do grupo Virgin, o magnata britânico Richard Branson, anunciou neste domingo que, devido aos elevados custos, em 2010 não vai mais patrocinar a equipe Brawn GP, que disputa a Fórmula 1.

Veja também:

linkVettel domina e vence GP da Grã-Bretanha

tabela F-1: classificação do Mundial

especial Confira o calendário da temporada

especial ESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

Antes do começo da atual temporada, a Virgin saiu em socorro da escuderia, que se chamava Honda até a crise econômica obrigar a empresa japonesa a abandonar a F-1.

Na época, ninguém esperava que o inglês Jenson Button, um dos pilotos da equipe, fosse liderar o Mundial da Fórmula 1 nem que a própria Brawn fosse assumir a liderança no Mundial de Construtores.

No entanto, Branson admitiu à BBC Radio Five que o inesperado êxito dos pilotos encarecerá o patrocínio em 2010.

"Entramos (na Brawn) porque era muito barato e a cobertura mundial foi fantástica para nós. Mas suspeito que no próximo ano o preço será astronômico e teremos que buscar em outro lugar uma equipe menor", disse o dono da Virgin.

"O valor (da escuderia) passou de quase nada a 50 milhões de libras (59 milhões de euros, ou R$ 161 milhões) ao ano. Estamos felizes por eles e nós estamos tendo um ano fantástico com eles", acrescentou Branson.

Sobre o polêmico limite orçamentário para 2010, que causou um racha entre a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e associação de escuderias da Fórmula 1 (Fota), o magnata pediu que "prevaleça o bom senso".

Branson acha que "seria uma grande pena" a ruptura e disse que ambas as partes deveriam "se sentar" para chegar a um acordo.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Brawn GPVirgin Group

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.