"Viúvas" de Senna cuidam de Interlagos

?Eu era apaixonado quando o Senna ainda era vivo. Depois disso, deixei um pouco de lado. Agora, sinto que vou voltar a gostar?, diz Adriano Gomes dos Santos, de 26 anos, que trabalha como jardineiro para deixar Interlagos pronto para a corrida da F-1, domingo. Enquanto contêineres carregados de caríssimo material das equipes vão sendo descarregados, um exército de gente simples vai tentando colocar a casa em ordem. São cerca de 400 pessoas, a maioria desempregadas, que ganham em média R$ 15 por dia, para deixar tudo pronto para domingo. Divididos em turnos, trabalham dia e noite cortando grama, varrendo a pista e lavando as arquibancadas, sem contar outras reformas estruturais pelas quais o circuito passou. O contrato de trabalho temporário varia de duas semanas a um mês. A maioria não sabe o que fazer depois que o GP acabar. Leia mais no Jornal da Tarde

Agencia Estado,

25 Março 2002 | 10h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.