Williams diz não ter pressa para definir pilotos de 2013

Apesar das especulações sobre os pilotos da Williams para a temporada 2013, que incluem uma possível efetivação do finlandês Valtteri Bottas, atualmente piloto de testes, o futuro da equipe não será definido tão cedo. Nesta segunda-feira, Toto Wolff, diretor-executivo da escuderia inglesa, avisou que uma definição para o próximo campeonato ainda vai demorar a acontecer.

AE, Agência Estado

17 de setembro de 2012 | 13h50

De acordo com o dirigente, iniciar negociações nesse momento poderia afetar o desempenho do brasileiro Bruno Senna e do venezuelano Pastor Maldonado. "É muito cedo para dizer. Claro, estamos analisando a questão, mas no momento em que discutirmos isso, vamos mexer com Pastor e Bruno. Então levaremos um mês antes de ter a primeira ideia do que queremos", disse.

Wolff fez elogios aos atuas pilotos da Williams, mas avaliou que Bruno Senna ainda sofre para conseguir bons resultados por se sentir muito pressionado. "O Bruno é muito inteligente e muito sensível e isso significa que ele está colocando muita pressão sobre si mesmo", afirmou o dirigente, que garantiu dar total apoio ao brasileiro no seu desenvolvimento.

"Cada piloto da Fórmula 1 é muito competitivo e Bruno está tentando lutar contra o fato de que ele não teve muita base no automobilismo porque a família não queria que ele competisse. Mas ele fez o seu caminho para a F1, o que significa que ele é bom. Ele tem um companheiro de equipe extremamente rápido e precisa seguir o seu caminho. Ele está trabalhando duro e estamos tentando apoiá-lo da melhor forma que podemos", comentou.

O dirigente também elogiou Maldonado e avaliou que o venezuelano está aprendendo com os erros cometidos nesta temporada, em que se envolveu em vários acidentes. "Ele tem um enorme talento cru, é extremamente rápido", disse. "Acho que ele entendeu agora que precisa ter uma abordagem diferente, isto não é GP2. Mas ele é um cara inteligente e vai aprender", completou.

Para Wolff, Maldonado passa por um processo semelhante ao de Ayrton Senna no início da sua carreira na Fórmula 1. "Lembra de Ayrton Senna no começo? Ninguém queria tocá-lo. Naqueles dias não havia penalidades no grid, mas se tivesse, ele teria perdido 10 lugares no grid muitas vezes", disse.

Após a realização de 13 etapas, Maldonado, que venceu o GP da Espanha, está em 15º lugar no Mundial de Pilotos, com 29 pontos. Ele tem quatro pontos de vantagem para Bruno Senna, que está na 16ª posição. A Williams ocupa a oitava posição no Mundial de Construtores, com 54 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.