Divulgação
Divulgação

Williams revela preocupação com o tempo instável para o GP da Malásia

Pilotos devem perder até 3 kg durante a corrida e calor faz Massa temer desgaste do pneus

O Estado de S. Paulo

24 de março de 2014 | 11h56

GROVE - O tempo instável da Malásia é a grande preocupação da Williams para a corrida do próximo domingo, em Sepang. Para a segunda etapa da temporada de Fórmula 1 a equipe inglesa prevê que os pilotos devem perder até 3 kg em suor durante a prova, geralmente disputada sob forte calor, e com histórico de chuva, como em 2009, quando um temporal chegou a interromper a corrida.

A escuderia se destacou pelos bons resultados na pré-temporada, mas na etapa de abertura, na Austrália, não rendeu. O finlandês Valtteri Bottas se envolveu em acidentes e terminou na quinta posição, enquanto Felipe Massa foi atingido pela Caterham de Kamui Kobayashi na primeira curva e deu adeus ao GP. Por isso, está ansiosa para demonstrar reação na Malásia.

"Na Malásia chove em quase todas as tardes e o índice de chuvas é quatro vezes maior que o de Silverstone. É sempre quente e úmido e mesmo as tempestades podem evaporar muito rapidamente", disse o engenheiro-chefe de operações da Williams, Rod Nelson.

Massa afirmou que o calor faz a corrida ser cansativa e exigente, além de degastar os pneus rapidamente. "Sempre há chance de chuva, inclusive de tempestade em quase todos os dias. Todos esses fatores fazem a corrida ser emocionante para o público, mas as mudanças de tempo complicam para os pilotos", comentou o brasileiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.