Zagallo na torcida por Ingo Hoffmann

Zagallo abandonou os gramados nesta quinta-feira para se aventurar nas pistas de automobilismo, em um inusitado encontro com o campeão brasileiro de Stock Car, Ingo Hoffmann, no autódromo Internacional Nelson Piquet, em Jacarepaguá. O encontro foi causado pelo fato de o piloto estar em busca de seu 13º título na categoria, o número de sorte do coordenador-técnico da seleção.Entre sorrisos e conselhos, Zagallo e Hoffmann demostraram descontração, apesar de ser a primeira vez que o coordenador visitou o circo da Stock Car, que no domingo realiza em Jacarepaguá a 9ª etapa. O piloto paulista, que liderou a classificação do campeonato até a última corrida, realizada em Campo Grande, caiu para a vice-liderança e está com 99 pontos. O primeiro colocado é o paranaense David Muffato, que tem 108."Fizemos uma promessa. Quando o Ingo conquistar o título, ele colocará a 13ª estrela em seu capacete e me dará a peça como presente", disse Zagallo. "Em troca vou dar a camisa que ganhei ao completar 100 jogos pela seleção brasileira. Ela tem o número 13 na frente e o número 100 atrás, com meu nome gravado." Sem querer radicalizar na aventura, Zagallo se recusou a sentar no carro da equipe, sob o argumento de que se entrasse não conseguiria sair. "O desconforto é muito grande. Dar tantas voltas dentro de um carro com uma temperatura de até 50º C não é fácil", justificou o coordenador da seleção. Do outro lado, Hoffmann não titubeou e nem quis cogitar a possibilidade de fazer algumas embaixadinhas com uma bola.Após os últimos maus resultados - em Campo Grande abandonou a prova na largada -, Hoffmann contou que voltará a utilizar o chassi antigo, substituído após a quarta etapa, realizada em Jacarepaguá, por ser "mais competitivo do que o novo modelo". "Quero fazer tudo o que estiver ao meu alcance. O mais difícil é controlar o emocional, a própria pressão que você se coloca. Mas, nesse ponto levo vantagem sobre a garotada", afirmou Hoffman, que tem 50 anos, observado por Zagallo, de 72 anos. "Ainda tenho muito prazer em dirigir e isto me emociona." O encontro entre Zagallo e Hoffman não poderia terminar de maneira mais descontraída. O coordenador técnico recorreu a uma frase que marcou sua carreira, após trocar camisas autografadas com o piloto. "Agora vocês vão ter que me engolir na Stock Car", brincou.Por causa de compromissos particulares, Zagallo não deverá ir a Jacarepaguá assistir à prova, com largada prevista para às 10h35. "Mas a minha torcida é para o Ingo e volto para buscar o capacete com as 13 estrelas coladas", prometeu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.