Uwe Anspach/EFE
Uwe Anspach/EFE

Zanardi sai do coma induzido e é transferido para centro de neuro-reabilitação

Italiano está internado desde o dia 19 de junho, após sofrer um grave acidente durante prova de paraciclismo

Redação, Estadão Conteúdo

21 de julho de 2020 | 10h31

Depois de pouco mais de um mês de sofrer um grave acidente durante um evento de paraciclismo em Pienza, na província de Siena, na Itália, a equipe médica do hospital Santa Maria alle Scotte, em Siena, deu nesta terça-feira alta médica ao italiano Alessandro Zanardi. A instituição na região da Toscana comunicou que o ex-piloto de Fórmula 1, bicampeão da Cart e multicampeão paralímpico saiu do coma induzido após ter a sedação suspensa pela junta médica e foi transferido para um centro especializado em neuroreabilitação.

Zanardi estava internado desde 19 de junho, data do acidente. Neste período, foi submetido a três cirurgias, sendo que a última delas, no começo de julho, aconteceu para promover a reconstrução cranio-facial. Dez dias depois, a junta médica atualizou o seu estado de saúde e informou a redução da sedação de coma induzido, com quadro neurológico considerado ainda grave.

"A normalidade dos parâmetros cardiorrespiratórios e metabólicos, a estabilidade das condições clínicas gerais e o quadro neurológico permitiram a transferência para um centro especializado em recuperação e reabilitação funcional", anunciou o hospital no comunicado oficial emitido nesta terça-feira.

Diretor-geral do hospital, Valtere Giovannini disse que "os nossos profissionais permanecem à disposição desta pessoa extraordinária e de sua família para as próximas etapas do desenvolvimento clínico, diagnóstico e terapêutico, como sempre acontece nesses casos. Agradeço sinceramente à equipe multidisciplinar que cuidou de Zanardi de coração, que realizou tudo com grande profissionalismo, reconhecido nacionalmente e além".

"O atleta passou mais de um mês em nosso hospital: foi submetido a três delicadas operações cirúrgicas e mostrou um caminho de estabilidade de suas condições clínicas e parâmetros vitais que permitiram a redução e suspensão da sedação e a consequente possibilidade de poder ser transferido para uma instalação para a neuro-reabilitação necessária. Concluo enviando um grande abraço à família de Alex, que mostrou uma força extraordinária: um presente precioso que deverá ser um companheiro de jornada fundamental neste novo caminho que começa hoje (terça-feira)", finalizou o médico.

Como foi o acidente

Zanardi, que perdeu as duas pernas em um acidente de automobilismo há quase 20 anos, estava em coma induzido e ligado a um respirador desde que colidiu a sua bicicleta em um caminhão durante uma corrida de revezamento. Os médicos explicaram que ele sofreu um grave trauma facial e craniano e alertaram para possíveis danos cerebrais.

O ex-piloto de Fórmula 1 competia em uma etapa do revezamento do Objetivo Tricolor, uma competição que reúne atletas paralímpicos em bicicletas de mão, triciclos ou cadeiras de rodas. O acidente ocorreu no quilômetro 146 da rodovia entre Pienza e San Quirico d’Orci.

Segundo informações da imprensa italiana, Zanardi teria perdido o controle da sua bicicleta de mão em uma descida, em uma curva, indo para a pista oposta. Na contramão, ele se chocou com um caminhão. Um vídeo divulgado pela emissora Tgr Rai Toscana mostra o que aparentemente era o equipamento de Zanardi tombado de lado na beira da estrada, parcialmente destruído.

Zanardi soma quatro medalhas de ouro paralímpicas. Ele competiu na Fórmula 1 entre 1991 e 1994, depois indo para o automobilismo norte-americano, onde foi campeão na Cart em 1997 e 1998, regressando no ano seguinte para a F-1.

Em 2001, um grave acidente em corrida da Cart na Alemanha o fez perder as duas pernas. O italiano ainda seguiria envolvido no automobilismo, mas aos poucos passou a se concentrar no esporte paralímpico. E faturou dois ouros nos Jogos de Londres-2012 e outros dois no Rio-2016.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Alessandro Zanardi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.