Zonta sonha em correr Cart em 2003

A primeira temporada da Telefonica World Series, que termina neste domingo em Interlagos com a realização das duas últimas etapas, marcou o renascimento do brasileiro Ricardo Zonta como piloto. Após amargar péssimas temporadas na Fórmula 1 e ser massacrado inclusive psicologicamente na BAR, onde tinha como companheiro o pouco cortês canadense Jacques Villeneuve, o paranaense perdeu o rumo. Chegou a entrar em depressão e não foram poucos os que apostaram que sua carreira estava acabada. Zonta, porém, deu a volta por cima.A mudança começou quando decidiu encarar a experiência na World Series. Conseguiu um lugar na equipe Gabord e disputou uma excelente temporada. Nas 14 primeiras etapas, venceu nove. Conseqüência: conquistou o título por antecipação. "Mostrei para aqueles que não acreditavam no meu potencial. Passei por momentos difíceis na carreira, de indefinição, mas consegui superá-los´´, disse Zonta.Com o moral novamente elevado, o piloto paranaense, agora, vai estudar com calma seu futuro. Ele tem a opção de continuar na World Series em 2003, mas seu objetivo ? embora não declarado abertamente ?, é correr na Cart. No entanto, Zonta fala com prudência da categoria, que passa por uma grave crise técnica e financeira. "Eu pretendo primeiro testar um carro da Cart, para ver se é uma categoria boa. Então, decidirei. Não tenho muita pressa.´´ O piloto deve anunciar seu futuro no final deste mês.A programação da última etapa da World Series prevê a largada da primeira corrida da rodada dupla para as 11 horas deste domingo. Serão 17 voltas. Às 13h30 começa a segunda prova, desta vez em 25 voltas. Em jogo estará o vice-campeonato, entre o francês Franck Montagny (188 pontos) e o belga Bas Lenders (174).Além de Zonta, outros seis brasileiros devem participar da rodada dupla: Jaime Melo Júnior, Rodrigo Sperafico, Wagner Ebrahim, Ricardo Sperafico, Tuka Rocha e Luciano Gomide.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.