Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Ângela e Carol Horta superam cubanas e levam o bronze no vôlei de praia

Brasileiras ganharam de Maylen Delís e Leila Martínez por 2 sets a 0, com parciais de 21/19 e 21/18, em Lima

Redação, Estadão Conteúdo

30 de julho de 2019 | 16h47

O Brasil encerrou a sua participação no vôlei de praia nos Jogos Pan-Americanos de Lima com a conquista de uma medalha de bronze. Nesta terça-feira, na disputa pelo terceiro lugar da chave feminina, Ângela e Carol Horta derrotaram as cubanas Maylen Delís e Leila Martínez por 2 sets a 0, com parciais de 21/19 e 21/18.

Com uma campanha perfeita até a classificação às semifinais, com quatro vitórias e nenhum set perdido, Ângela e Carol falharam na busca pela vaga na decisão, quando perderam para as norte-americanas Karisse Cook e Jace Pardon por 2 a 0. Mas conseguiram se recuperar nesta terça para ao menos garantir o bronze.

Também nesta terça, Oscar e Thiago encerraram a participação no evento masculino na sétima posição. Derrotados nas quartas de final e também no primeiro compromisso do torneio de consolação, os brasileiros bateram, nesta terça, os venezuelanos Rolando Hernandez e Jose Gomez por 21/17 e 21/11.

Oscar e Thiago haviam triunfado nos dois primeiros compromissos na fase de grupos do Pan de Lima, perdendo o terceiro desta etapa. Assim, com o resultado desta terça, encerraram a participação nos Jogos com três vitórias e três derrotas. De qualquer forma, registraram uma marca negativa, pois o Brasil nunca havia ficado fora da final no evento masculino do vôlei de praia, sendo que a sua estreia no programa ocorreu em 1999.

Com a medalha de Ângela e Carol Horta, o Brasil passa a somar 12 medalhas no vôlei de praia no Pan, sendo cinco de ouro, três de prata e quatro de bronze.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-americanosvôlei de praia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.