Após título, vôlei masculino já pensa no Mundial do Japão

Um dia após a conquista do hexacampeonato da Liga Mundial, a seleção brasileira de vôlei masculino já pensa na preparação para o Campeonato Mundial, que será disputado de 17 de novembro a 3 de dezembro, no Japão, e no qual a equipe busca o bicampeonato - venceu em 2002, na Argentina. E a prioridade do técnico Bernardinho é corrigir as deficiências que, segundo ele, não podem ser encobertas pelo hexacampeonato.?Devemos nos questionar sempre sobre o que é preciso melhorar", alerta o técnico, que vê possibilidades de evolução em todos os fundamentos, como dificuldades na defesa e irregularidade no saque e no passe. "Individualmente também podemos trabalhar o ataque. Como sistema, o ataque funciona bem, masas talvez tenhamos negligenciado a parte individual, já que o ataque sempre foi algo natural no jogador brasileiro?, explica o treinador.Para ele, a evolução do vôlei faz com que simplesmente repetir a mistura de velocidade e força que garantiu à seleção a medalha de ouro olímpica em Atenas não seja suficiente para conquistar o bi mundial. "Temos que trabalhar mais uma série de fundamentos e buscar algo de novo", comenta.A França, dura adversária na decisão deste domingo, em Moscou, faz parte do grupo do Brasil na primeira fase, ao lado de Cuba, Alemanha, Grécia e Austrália. Os quatro primeiros seguem para a etapa seguinte, onde se encontram com os melhores do grupo que tem, entre outros, Itália, Estados Unidos e Bulgária - a única a vencer o Brasil na Liga-2006. "É um caminho difícil?, diz Bernardinho, que vê diferenças em relação a 2002 na relação de candidatos ao título. ?Naquela época existiam quatro grandes forças: Brasil, Rússia, Itália e Sérvia e Montenegro. Hoje, temos Bulgária, Polônia, Estados Unidos, Cuba..."Com um currículo invejável em seis anos à frente da seleção masculina - são 16 títulos em 20 torneios disputados, incluindo competições amistosas -, Bernardinho rejeita a possibilidade de "fazer história" com a conquista do bicampeonato mundial. "Esses jogadores só estão pensando na próxima partida e na próxima competição. Ninguém aqui pensa em recordes?, atesta.Os campeões da Liga Mundial chegam ao Brasil na manhã desta terça-feira, com aterrissagem prevista para às 5h25, no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio. A seleção agora só volta a se reunir cerca de três semanas antes do Mundial para retomar a preparação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.