Argentina vive fase de superstar

A seleção da Argentina que disputa o Mundial de Vôlei, vive fase superstar: procura isolamento total, já que o público está enlouquecido com a campanha invicta do time e lota todas as partidas no Luna Park - que parece o estádio La Bombonera. Contra a Itália 10.250 pessoas agitaram bandeiras e rodaram camisas após vitória por 3 a 1. Os jogadores estão concentrados em um centro de treinamento perto do aeroporto internacional Ezeiza, local onde fica a seleção de futebol. As demais delegações dividem hotel. "A equipe está muito forte e unida", comentou o técnico Carlos Getzelevich para a ESPN, que dedica grande parte de sua programação para o Mundial - também há várias propagandas no ar. Mesmo com o apoio da torcida, o levantador Weber, que encerra sua carreira como jogador justamente em um Mundial disputado em seu país, acredita que terá dificuldade para passar pela França, nesta quarta-feira, e tentar posição inédita na história. Em 1998, no Japão, a Argentina terminou em 11º lugar. O melhor resultado foi conquistado em 1982, na Argentina: uma medalha de bronze. Observa, no entanto, que as chances são maiores do que se tivesse de encarar o Brasil - terminou em primeiro do grupo G e evitou o confronto com o rival sul-americano. "Muito bom não pegar o Brasil. Está mostrando nesse campeonato que é a melhor equipe do mundo", disse Weber.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.