Barueri acolhe jogadoras e terá time na Superliga

A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) anunciou nesta segunda-feira que a Superliga Feminina da próxima temporada terá mesmo 14 equipes. O novo time confirmado, porém, não é o Jacareí, que chegou a pleitear uma vaga. As mesmas jogadoras que faziam parte do projeto da cidade do interior paulista vão defender, na verdade, a prefeitura de Barueri.

AE, Agência Estado

19 de agosto de 2013 | 17h52

O projeto encabeçado pela campeã olímpica Fernandinha, a oposto Renatinha, a ponteira Soninha, entre outras, pretendia montar um time em Jacareí. Mas as promessas não foram cumpridas, salários não foram pagos, e a CBV esperava até a última sexta-feira a confirmação da inscrição do time na Superliga.

Foi aí que entrou a prefeitura de Barueri, que acolheu as atletas que jogariam por Jacareí (e que estava, portanto, desempregadas), e resolveu montar um time para a próxima Superliga.

"Ficamos muito satisfeitos com o desenrolar desta situação. As atletas buscaram este patrocínio e só nos cabe parabenizá-las por esta conquista. Nós vimos que a prefeitura está realmente disposta a tocar este projeto. Conversamos com os clubes e optamos pela substituição. Este é um projeto que Barueri já tinha interesse em realizar há algum tempo e que, agora, foi apressado e sai do papel", explicou Renato D´Ávila, superintendente da CBV.

"Esta nova equipe de voleibol é muito bem vinda, até porque faz parte do projeto da secretaria de Esporte de Barueri a criação de equipes principais e de alta performance em todas as modalidades", disse Paulo Sérgio, ex-jogador da seleção brasileira de futebol e hoje secretário de Esporte da cidade da Grande São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiSuperliga Feminina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.