Bernardinho afirma que quer entendimento com Ricardinho

'Jamais questionamos sua capacidade técnica e mantemos, sim, as portas abertas para o atleta', diz o técnico

03 de outubro de 2007 | 19h53

O técnico da seleção brasileira masculina de vôlei, Bernardinho Rezende, disse nesta quarta-feira que a inscrição do levantador Ricardinho para a Copa do Mundo do Japão, em novembro, é um "passo rumo ao entendimento", frase dita pelo treinador em nota distribuída pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV). "Jamais questionamos sua capacidade técnica e mantemos, sim, as portas abertas para o atleta", diz Bernardinho, que selecionou o jogador entre os 19 pré-inscritos para a competição, que vale três vagas para a Olimpíada de Pequim, em 2008. Bernardinho deixou claro, contudo, que não tomará mais nenhuma atitude para reintegrar o jogador, que foi cortado às vésperas do início dos Jogos Pan-Americanos, e saiu atirando não apenas contra o treinador, mas também contra os companheiros, dizendo-se "decepcionado" por seu corte ter sido aceito pelo grupo. Ricardinho se indispôs com a comissão técnica ao pedir folga antes da fase final da Liga Mundial, quando a seleção ficou uma semana na Europa apenas treinando, e ao propor a divisão de prêmios individuais apenas entre jogadores. "Agora, o próximo passo terá de ser dele: se fizer uma retratação ao grupo e mostrar-se disposto a seguir as regras e rotinas planejadas, ele será convocado. Caso contrário, se não houver uma movimentação do Ricardinho nesse sentido, ele não será convocado", afirmou o técnico, que levará 12 atletas para a competição. Da lista de 19, quatro são levantadores: o agora titular Marcelinho, o reserva Bruno - filho de Bernardinho - e o novato Rafael, que foi reserva de Bruno na Copa América, quando o Brasil atuou com um time reserva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.