Bernardinho confirma cortes e define seleção olímpica

O técnico Bernardinho confirmou nesta quarta-feira a lista de 12 convocados para os Jogos Olímpicos, oficializando os mesmos nomes que haviam sido divulgados no dia anterior pela Federação Internacional de Vôlei (FIVB). O treinador ratificou os cortes do oposto Theo, do líbero Mario Júnior e do ponteiro Lucarelli, mas o último deles viajará para Londres para ajudar o time nos treinos em solo inglês.

TIAGO ROGERO, Agência Estado

18 Julho 2012 | 13h57

Theo, Mario Júnior e Lucarelli estão treinando com o grupo dirigido por Bernardinho no CT da seleção em Saquarema (RJ), onde a equipe tenta recuperar a condição perdida na última Liga Mundial, na qual o Brasil decepcionou ao ficar fora até das semifinais.

Ao falar da preparação brasileira, Bernardinho admitiu que Giba ainda não está 100% recuperado de uma cirurgia na canela esquerda. A lesão deixou o atleta afastado dos jogos da seleção por seis meses e ele só voltou a atuar no mês passado. O comandante, porém, exibiu confiança de que o ponteiro estará pronto para defender o Brasil em boas condições físicas na Olimpíada.

Com a confirmação dos 12 jogadores inscritos na Olimpíada, o time nacional contará em Londres com os levantadores Bruninho e Ricardinho, os opostos Leandro Vissotto e Wallace, os ponteiros Dante, Murilo, Giba e Thiago Alves, os centrais Sidão, Lucão e Rodrigão e o líbero Escadinha.

Já ao projetar o futuro após a disputa dos Jogos Olímpicos, Bernardinho deixou em aberto a sua continuidade na seleção. O treinador lembrou que está sendo desgastante para ele compartilhar a função de técnico do Brasil com a de treinador da equipe feminina do Unilever.

"É uma situação que vou precisar repensar, se continuo nas duas frentes, porque elas exigem de mim 12 meses do ano em período em integral. Isso, claro, se a confederação (CBV) quiser que eu permaneça", disse Bernardinho, que liderou o período mais vitorioso da história do vôlei brasileiro e tem prestígio de sobra para continuar, mas que ainda não renovou o seu contrato para seguir à frente da seleção após a Olimpíada.

TOTENS PARA OS BICAMPEÕES - O presidente da Confederação Brasileira de Vôlei, Ary Graça, inaugurou na manhã desta quarta-feira, no CT de Saquarema, dois totens em homenagem aos únicos bicampeões olímpicos da história do vôlei do Brasil: Maurício e Giovane.

Os jogadores de todas as categorias das seleções brasileiras estiveram presentes no evento, no qual Giovane festejou o fato de ter o seu feito eternizado pela CBV. "Não é fácil estar aqui. Ser bicampeão olímpico exige muito trabalho, mas vocês todos sabem disso", disse o ex-jogador aos atletas que acompanharam o seu discurso de agradecimento.

"Já fui melhor do mundo, tenho uma porção de títulos individuais, mas desses ninguém lembra. Porém, as conquistas em grupo, as medalhas, dessas todo mundo lembra", completou Giovane.

Ary Graça, por sua vez, prometeu que, se o Brasil conquistar o ouro em Londres, todos os atletas que estiveram na campanha do título olímpico de 2004, em Atenas, também ganharão totens da CBV. No caso, Ricardinho, Dante, Giba, Rodrigão e Escadinha são os jogadores que podem ser bicampeões olímpicos na capital inglesa.

Mais conteúdo sobre:
vôleiBrasilBernardinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.