Bernardinho diz que vai tentar o ´impossível´ em 2007

Bicampeã mundial, a seleção brasileira masculina de vôlei terá um calendário cheio em 2007. São cinco competições no ano e o técnico Bernardinho já avisa que será "impossível" ganhar todas. Mas ele promete tentar.?É impossível você disputar quatro, cinco competições e achar que vai conseguir ganhar todas. Espero que possamos fazer isso, que os jogadores ainda tenham dentro deles uma reserva de vontade, de disposição de ir em frente. Não podemos ganhar todas, mas este é o nosso objetivo e é para isso que vamos trabalhar?, afirmou Bernardinho, ainda no Japão, antes de embarcar de volta ao Brasil.O Brasil conquistou o título mundial no domingo, ao vencer a Polônia por 3 sets a 0, em Tóquio, no Japão. O grupo campeão chega ao Brasil na manhã desta terça-feira e irá fazer um desfile em carro aberto pelas ruas de São Paulo, para comemorar com os torcedores.PlanejamentoO principal objetivo do Brasil em 2007 será vencer os Jogos Pan-Americanos, em julho, no Rio - essa é a única grande competição que a seleção de Bernardinho ainda não ganhou, pois foi bronze na edição de 2003, na República Dominicana. Além disso, o time irá disputar a Liga Mundial, a Copa América, o Campeonato Sul-Americano e a Copa do Mundo.Mas os planos da seleção ainda não estão definidos para 2007. ?Aos poucos vamos conversar e avaliar bem o que vamos fazer, traçar um planejamento e apresentá-lo à equipe", explicou Bernardinho. O técnico também fez um balanço da temporada. "Tratou-se de um ano de dificuldades por causa do desgaste enorme dos jogadores. Lidar com isso não é simples. É uma relação muitas vezes complicada por causa dessa pressão contínua, dessa busca incessante pela vitória", admitiu Bernardinho. "Ao mesmo tempo, foi um ano gratificante pelos resultados que conseguimos obter."Perfeccionista, Bernardinho avalia que a seleção ainda precisa evoluir, apesar de ter dominado o vôlei mundial nos últimos quatro anos. Sua preocupação é com saque e defesa. "Vamos trabalhar muito para isso. É preciso haver uma consciência individual dos jogadores de que eles precisam trabalhar isso nos seus clubes", pediu o treinador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.