Bernardinho faz um alerta ao time

Sem a tradicional euforia dos torcedores, a seleção brasileira masculina de vôlei, segundo lugar na Copa dos Campeões, no Japão, no final de semana, desembarcou hoje em São Paulo e no Rio. No Aeroporto Internacional Tom Jobim, o técnico Bernardinho fez uma análise otimista de seu primeiro ano à frente da equipe, mas mandou um recado para atletas e torcida. "A derrota para Cuba foi boa, porque acabamos com essa história de invencibilidade, de invencíveis. Ela serviu para colocarmos os pés no chão e os clubes entenderem que precisamos de mais tempo para treinar os atletas na seleção", disse. Segundo Bernardinho, a única derrota do Brasil na competição permitiu a observação de vários erros. Apesar dos problemas, ele ressaltou que o time tinha condições de superar os cubanos, vencedores da Copa. O desfalque dos titulares Escadinha, Giba e Gustavo também foi lembrado por Bernardinho como mais um obstáculo que a seleção precisou superar. Os três jogadores pediram dispensa da equipe, alegando problemas pessoais. O treinador afirmou que a atitude deles não impedirá que sejam convocados no futuro. Bernardinho já está pensando na campanha do próximo ano. Depois de um belo trabalho em 2001, quando conquistou cinco títulos e um vice-campeonato, o treinador deseja levar a seleção ao degrau mais alto do pódio na Liga Mundial e no Mundial, em 2002. "Ainda podemos melhorar muito individualmente. Todos temos condições de crescer", enfatizou Bernardinho, que na quinta-feira vai estar na estréia da equipe do Rexona contra o Macaé, no Grand Prix Vôlei Brasil feminino, em São Paulo. A previsão é a de que a seleção brasileira volte a se reunir em abril. Já o atacante Geovane elogiou os companheiros de equipe, mas enfatizou que a seleção não jogou tudo o que podia. De acordo com ele, o mais importante é que todos estão se dedicando e acreditando no trabalho realizado por Bernardinho. Afirmou ainda que a temporada de 2002 tem tudo para ser melhor, se os atletas mantiverem o ritmo deste ano.

Agencia Estado,

27 Novembro 2001 | 11h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.