Bernardinho lamenta desgaste em vitória suada do Brasil

Treinador poupa alguns titulares, mas é obrigado a utilizar Wallace e Maurício no decorrer da partida contra a Coreia do Sul

Estadão Conteúdo

06 Setembro 2014 | 19h49

A ideia de Bernardinho era aproveitar a fragilidade da Coreia do Sul para dar descanso a alguns titulares e poupar o time para a maratona de 13 jogos previstos no Mundial de Vôlei. Mas ninguém esperava que os asiáticos fossem vender tão cara a derrota neste sábado, em Katowice (Polônia). A partida foi disputada ponto a ponto e só decidida pela vantagem mínima no último set (15/13).

"Sofremos um pouco sem controlar os ataques deles. Mexemos para descansar alguns jogadores e acabamos desgastando a equipe mais do que esperávamos. O importante é que ganhamos e amanhã (domingo) esperamos fazer uma boa partida. É importante a vitória, já que levamos os pontos para a fase seguinte", comentou Bernardinho.

O treinador não utilizou na partida os titulares Bruno (com uma lesão na mão), Lucarelli e Lucão. Wallace também não entraria em quadra, mas precisou ser usado porque Vissotto sentiu uma lesão no tendão de Aquiles. Maurício também ganhou chance no fim da partida, no lugar de Murilo.

Apesar de ter deixado a quadra no quarto set, Leandro Vissotto foi o melhor pontuador do Brasil, com 22 acertos. "Eles sacaram bem e dificultaram o nosso passe. São jogadores baixos, mas chegam bem no bloqueio. É um time bem treinado, tem disposição para defender, e que foi bem difícil de enfrentar. Nos colocaram dificuldade o tempo inteiro, mas conseguimos reagir", comentou o jogador.

O Brasil segue liderando o Grupo B, com 11 pontos - a vitória por 3 sets a 2 vale apenas dois pontos. Caso a Coreia do Sul não vença a Alemanha por 3 a 0 ou 3 a 1 no domingo, não avança de fase. Assim, o resultado deste sábado será descartado. 

Os placares contra os outros três classificados da chave, porém, vão com o Brasil para a segunda fase, quando o Grupo B cruza com o Grupo A. Por isso é importante vencer bem a seleção de Cuba, neste domingo, às 15h25 de Brasília.

Mais conteúdo sobre:
vôlei Mundial de Vôlei

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.