Bernardinho não crê mais no título

Depois da derrota para Cuba por 3 sets a 2 (25/21, 22/25, 20/25, 25/20 e 15/11), nesta sexta-feira, a seleção brasileira de vôlei masculino ficou longe do título da Copa dos Campeões, que está sendo disputada no Japão. Até o técnico Bernardinho acredita que não dá mais para impedir a conquista dos cubanos."É possível que os cubanos não percam mais nenhum set", avaliou Bernardinho, que acha "praticamente impossível" uma derrota de Cuba para japoneses ou argentinos, seus adversários nas duas últimas rodadas do torneio. O Brasil ainda joga contra Iugoslávia, neste sábado, e Japão, no domingo - as duas partidas estão marcadas para as 7 horas de Brasília - e, além da vitória sobre os dois, precisaria que os cubanos perdessem uma partida para poder ficar com o título.No momento, Cuba lidera a classificação na Copa dos Campeões - invicta com três vitórias, é a favorita ao prêmio de US$ 400 mil. O Brasil, com duas vitórias e uma derrota, divide a segunda colocação com a Iugoslávia, com 5 pontos.Mais trabalho - Além de ver o time sacando bem, com volume de jogo e muita paciência nas duas partidas restantes, Bernardinho quer motivação. Ele julgou a derrota contra Cuba "um tropeço". Os cubanos também venceram a Iugoslávia, uma das favoritas ao título ao lado do Brasil.Para quem julga que no trabalho duro está o segredo de todo grande time, Bernardinho entende que faltou treino ao Brasil para a disputa da Copa dos Campeões. "Visto a camisa da seleção há oito meses e, nesse período, sempre valorizei o treinamento. Talvez tenha faltado um pouco mais de treinamento. Não deu para trabalhar mais porque os clubes precisavam de seus jogadores." O treinador disse que "entende" as necessidades dos clubes, mas observou que o time de Cuba, por exemplo, é uma seleção permanente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.