Bernardinho prevê dificuldade e exalta rivais argentinos

O Brasil entra em quadra pela segunda rodada da Liga Mundial de vôlei diante da grande rival Argentina. As seleções se enfrentam nesta sexta-feira e no sábado, em Mendoza, e, como não poderia ser diferente, a equipe brasileira espera muita dificuldade diante daqueles que, segundo o técnico Bernardinho, são os "grandes rivais no continente".

AE, Agência Estado

13 de junho de 2013 | 16h09

"A Argentina é o nosso grande rival no continente. Uma equipe que vem sendo construída já há alguns anos. É uma nova geração formada por filhos e herdeiros da grande geração dos anos 80 da Argentina. O Weber é um grande conhecido, já jogou e foi técnico no Brasil", declarou o treinador, exaltando o ex-levantador e atual técnico da Argentina.

Com o conhecimento de quem já enfrentou o rival diversas vezes, Bernardinho analisou a equipe argentina. "Um time com característica de muita garra, determinação, agressividade e, ao mesmo tempo, muita técnica. É uma equipe que a cada ano vem se consolidando como grande adversário do Brasil nas Américas e que briga por todas as competições conosco."

Outro que conhece bastante o adversário é o levantador William. Ele atuou por quatro anos no Bolívar e chegou a recusar ofertas da federação argentina para atuar pela seleção local. Apesar de exaltar o rival, o jogador reafirmou sua confiança na seleção brasileira e acredita que a equipe possa manter a invencibilidade na competição - venceu os dois duelos com a Polônia na primeira rodada.

"Eles estudam muito a nossa equipe. O vôlei argentino é bem parecido com o nosso. O treinador deles já trabalhou no Brasil e conhece muito o nosso voleibol. Tenho certeza que vão ser jogos bem complicados, principalmente jogando aqui, onde a torcida apoia muito a seleção da casa. Mas temos um bom time, a equipe tem crescido bastante a acho que as duas vitórias na Polônia nos deram uma confiança ainda maior e importante ao grupo", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiLiga MundialBrasilBernardinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.