Alexandre Arruda/CBV
Alexandre Arruda/CBV

Bernardinho vê excesso de erros e pede reflexão

Treinador lamentou principalmente erros defensivos do Brasil

AE, Agência Estado

29 de junho de 2013 | 15h26

SÃO PAULO - Depois de ver a seleção brasileira masculina de vôlei sofrer sua primeira derrota nesta edição da Liga Mundial, ao ser superada pela França por 3 sets a 1, com parciais de 29/27, 23/25, 25/22 e 25/19, o técnico Bernardinho criticou o desempenho do time nacional e também elogiou a atuação do adversário.

"A França jogou muito bem técnica e taticamente. A quantidade de erros cometidos hoje foi nítida. A defesa é o termômetro da equipe. Eles subiram bolas mais difíceis e nós não conseguimos o mesmo com bolas mais fáceis", analisou o treinador, antes de lembrar que agora será preciso passar por um momento de reflexão para a continuidade da competição.

"Os jogos de ontem (sexta) e hoje (sábado) não foram muito diferentes. Vencemos as cinco primeiras partidas e isso pode criar uma ilusão. E, da autossuficiência para a insegurança, há uma linha muito tênue. Agora ainda temos mais quatro jogos em casa e temos que refletir o que erramos e acertamos para as próximas partidas", ressaltou o treinador.

Já o capitão e levantador Bruno não escondeu o abatimento com a derrota para os franceses. "Foi uma decepção grande por termos jogado em casa. As engrenagens precisam estar mais bem ajustadas. Cada set é uma história diferente. Na Argentina e na Polônia oscilamos um pouco. Não queremos isso, mas temos que entender que no início do trabalho acontece. Espero que nos próximos jogos tenhamos mais regularidade. Vamos trabalhar para isso", projetou.

Já o oposto Leandro Vissotto foi outro que elogiou a atuação francesa. "A França fez uma partida de altíssimo nível. Até brinquei com o Dante que, se eles jogarem assim sempre, serão campeões mundiais. Com esse nível de jogo, podem bater qualquer seleção. Hoje (sábado), eles defenderam muito bem e também contra-atacaram. Foi uma partida muito difícil. Faz parte do processo. Vamos aprender com os erros e continuar crescendo", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.