Divulgação
Divulgação

Bernardinho vira ciclista e encara estreia no novo esporte em maio

Técnico da seleção masculina e da Unilever começou a pedalar há dois anos para cuidar da saúde

Amanda Romanelli, O Estado de S. Paulo

10 de abril de 2013 | 09h00

SÃO PAULO - Bernardinho tem ignorado os apelos da família para diminuir o ritmo de trabalho - tanto que confirmou que continuará dividindo suas atenções com a Unilever e a seleção masculina de vôlei. Mas, apesar dos muitos compromissos profissionais (e aí estão incluídas as palestras que frequentemente ministra), o técnico encontrou tempo para se dedicar a um novo hobby, o ciclismo.

Há dois anos, o técnico começou a pedalar. Primeiro, como uma maneira de manter a saúde, acompanhado da mulher, a ex-levantadora Fernanda Venturini. Mas, agora, já encara a modalidade com objetivos próprios de quem sempre viu o esporte como motivação. Tanto que sai da cama de madrugada, antes das 5h da manhã, para correr entre 20 e 40 km.

No dia 19 de maio, Bernardinho vai enfrentar sua primeira competição ciclística. Ele participará da Gran Fondo, em Nova York, prova de 100 milhas (cerca de 160 km). Será mais um na multidão estimada de sete mil atletas. "Voltei a fazer esporte, no caso, o ciclismo, e agora começo a desafiar os meus limites", disse o técnico de 53 anos, que deixou o vôlei aos 29.

Nos EUA, Bernardinho terá uma única meta: desafiar a si mesmo. "Meu objetivo é comigo mesmo, é terminar bem. Vai ser um teste geral, muito interesse para mim, porque é tudo novo." Tanto que, no sábado, participará de uma clínica especializada para conquistar alguns macetes. "Preciso aprender mais, como pegar um pouco de vácuo. Não sei fazer isso e preciso treinar para aprender algumas técnicas." Em setembro, no período de uma semana de férias, já planeja participar de outra prova, na Itália.

Bernardinho também percebe, no humor e no corpo, as mudanças trazidas pela nova atividade. Com a ajuda do esporte e de uma reeducação alimentar, perdeu 9 kg. "Foi ciclismo e vergonha na cara, né? Estou com 83 kg, o mesmo peso de quando eu jogava." Como pedala antes do trabalho, o técnico também viu no esporte uma fonte para a diminuição do estresse. "A Fofão disse que estou 1% mais calmo em uma entrevista. Já é uma conquista."

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiciclismoBernardinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.