Brasil bate fácil o Japão em último amistoso da série

Time de Zé Roberto ganha por 3 sets a 0 em Maceió e mantém invencibilidade com a quarta vitória

AE, Agência Estado

22 de junho de 2010 | 22h51

Brasileiras usaram amistosos contra japonesas como preparação para o Grand Prix

MACEIÓ - A seleção brasileira feminina de vôlei encerrou na noite desta terça-feira a série de amistosos contra o Japão com 100% de aproveitamento, somando quatro vitórias. Um dia após enfrentar as japonesas em Maceió, o Brasil voltou à quadra do Ginásio do Sesi e teve facilidade para vencer por 3 sets a 0 (25/22, 25/23 e 25/20).

A série serviu como preparação para a disputa do Grand Prix, que começa em agosto. A seleção buscará o nono título e o terceiro seguido na competição. Antes dos amistosos em Maceió, o Brasil já havia vencido o Japão por duas vezes em Natal, na semana passada. Apenas no primeiro jogo o time brasileiro sofreu e cedeu dois sets às japonesas.

Após a vitória tranquila desta terça, o técnico Zé Roberto admitiu que esperava mais dificuldade dos jogos. "A gente conseguiu aproveitar, dar ritmo para todo mundo, mas a gente podia ter sido mais exigido", disse o treinador em entrevista ao Sportv.

O comandante brasileiro explicou que o Japão não veio com algumas de suas melhores jogadoras. Mesmo assim, o treinador valorizou a série amistosa. "Foi bom. A gente buscou o Japão justamente pela velocidade", acrescentou Zé Roberto.

Para Sheilla, o confronto foi "superpositivo". "Nós fomos crescendo. É superimportante jogar, rodar todo mundo, foi muito válido", afirmou. "A gente tem que melhorar passe, defesa e o bloqueio está muito alto em alguns momentos", alertou a jogadora.

Agora, as atletas brasileiras terão folga até domingo. Na semana que vem, elas voltam a treinar em Saquarema, litoral do Rio de Janeiro. A estreia do Brasil no Grand Prix será no dia 6 de agosto, contra Taiwan, em São Carlos. Também na cidade do interior paulista, a seleção ainda encara o Japão e a Itália.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiBrasilJapãoamistoso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.