Divulgação
Divulgação

Brasil bate Sérvia e fica perto do título do Grand Prix

Seleção comandada por Zé Roberto mantém invencibilidade e conquista quarta vitória por 3 sets a 0

AE, Agência Estado

31 de agosto de 2013 | 09h33

SAPPORO - A seleção brasileira feminina de vôlei está próxima de conquistar o seu nono título do Grand Prix. Neste sábado, a equipe dirigida por José Roberto Guimarães manteve a invencibilidade na fase final do torneio e conquistou a sua quarta vitória ao superar a Sérvia por 3 sets a 0, com parciais de 27/25, 25/21 e 25/22, em 1 hora e 27 minutos.

Assim, o Brasil chega à ultima rodada da fase final do Grand Prix com 12 pontos. Neste domingo, às 3h30 (horário de Brasília), a equipe vai enfrentar a China, única seleção que pode evitar mais uma conquista das brasileiras.

Neste sábado, a oposto Sheilla foi o principal destaque do confronto, sendo a maior pontuadora com 19 pontos (15 de ataque e quatro de bloqueio). Assim, ela recebeu o prêmio de melhor jogadora da partida. As ponteiras Gabi, com 14 pontos, e Fernanda Garay, com 13, também se destacaram.

Sheilla revelou que o Brasil foi surpreendido pela decisão técnico da Sérvia, Terzic Zoran, de escalar uma equipe reserva. "Não esperávamos que a Sérvia jogasse com esse time, mas mesmo com a equipe reserva, as sérvias jogaram muito bem. O nível continuou alto. Nosso time está de parabéns. Conseguimos vencer mais um confronto por 3 sets a 0, o que é muito importante para a classificação final. O jogo com a China amanhã será a final do campeonato", disse.

A levantadora Dani Lins também admitiu a surpresa, mas ressaltou que o Brasil soube manter a concentração diante da novidade. "Demoramos um pouco a nos adaptar à equipe delas porque estudamos um outro time. No entanto, conseguimos nos concentrar e fizemos uma boa partida. Foi um jogo diferente, com bolas muito altas. Sabíamos que essa seria nossa primeira final e amanhã teremos uma outra com a China", afirmou Dani Lins.

Já Zé Roberto reconheceu que o Brasil teve dificuldades, mas conseguiu vencer graças ao bom desempenho do bloqueio. "Nosso plano de jogo era para o time titular, mas o Terzic mudou tudo. Preparamos uma tática para outro jogo, mas essa foi a opção dele. O mais importante é que conseguimos ganhar. Sofremos do início ao fim, mas hoje gostei muito do nosso bloqueio. Fizemos 15 pontos deste fundamento. Agora, vamos pensar na China", analisou

O treinador também destacou a boa atuação de Sheilla. "A Sheilla voltou a jogar bem. Ela teve que se virar em bolas difíceis. Nós precisávamos que ela voltasse a jogar mais solta e relaxada. Essa é a Sheilla que nós conhecemos", disse.

O JOGO

Neste sábado, o Brasil começou o duelo com a Sérvia com Dani Lins, Sheilla, Fê Garay, Gabi, Fabiana e Thaísa, além da líbero Fabi, como titulares. Michelle, Juciely e Monique entraram durante o confronto.

A Sérvia começou melhor a partida e foi ao primeiro tempo técnico em vantagem de quatro pontos (8/4). Com bom desempenho no bloqueio, o Brasil chegou a empatar a parcial em 9/9, mas as sérvias voltaram a deslanchar e fizeram 16/13. Liderado por Sheilla, o Brasil conseguiu virar o placar para 19/18 e fechou o primeiro set em 27/25.

Embalado, o Brasil começou bem a segunda parcial e abriu 5/1 e posteriormente 11/5, com bom desempenho do bloqueio. A Sérvia ainda esboçou uma recuperação, mas um ponto de ataque de Gabi garantiu o triunfo brasileiro por 25/21.

A seleção da Sérvia reagiu no começo do terceiro set e chegou a liderar por 8/5. O Brasil, porém, fez quatro pontos seguidos, virou o placar para 9/8 e foi ao segundo tempo técnico vencendo por 16/13. As brasileiras, então conseguiram manter a vantagem e fecharam a parcial em 25/22 e o jogo em 3 sets a 0, ficando cada vez mais perto do título do Grand Prix.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.