FIVB/Divulgação
FIVB/Divulgação

Brasil busca manter retrospecto positivo em etapa de Portugal do volêi de praia

País é o maior vencedor nas disputas em Espinho, pelo Circuito Mundial

Estadão Conteúdo

03 Julho 2018 | 16h02

A partir desta quarta-feira, as duplas brasileiras começam a disputar a etapa de Espinho, em Portugal, do Circuito Mundial do vôlei de praia. Com 12 títulos, o Brasil é o maior vencedor da etapa e busca, assim, manter a hegemonia no torneio em terras portuguesas.

+ Evandro e Felipe faturam a prata em etapa do vôlei de praia na Polônia

Na etapa de Espinho, a sétima de nove do circuito neste ano, o Brasil terá seis duplas, três no masculino e três no feminino, já garantidas na fase de grupos pelas posições no ranking.

Entre as mulheres, Carol Solberg/Maria Elisa, Fernanda Berti/Bárbara Seixas e Taiana Lima/Carolina Horta partem já da fase de grupos, na quinta-feira. Ágatha e Duda, bronze na etapa passada, em Varsóvia, na Polônia, optaram por não disputar esta etapa. Já Ana Patrícia/Rebecca busca a vaga no classificatório nesta quarta para ir à fase inicial.

Entre os homens, já estão classificados Alison/André Stein, Evandro/Vitor Felipe e Pedro Solberg/Bruno Schmidt. Eles entram em quadra pela primeira vez na sexta-feira. Um dia antes, Álvaro Filho/Luciano, Ricardo/Guto e Thiago/George se enfrentam no classificatório por um vaga no torneio. Evandro e Vitor Felipe chegam embalados, já que conquistaram a medalha de prata da etapa de Varsóvia, na Polônia, no último domingo.

"Essa medalha de prata foi muito boa, significa que estamos no caminho certo na nossa retomada de dupla. Ficamos em quinto no primeiro torneio, agora a prata na Polônia. Temos muitas coisas para melhorar, detalhes para evoluir, e manter essa consciência é importante. Vamos buscar um bom desempenho em Portugal, onde o Vitor Felipe já foi feliz na temporada passada", disse Evandro, referindo-se à conquista do parceiro em 2017, quando atuava com George.

 

 

Mais conteúdo sobre:
vôlei de praia vôlei Portugal [Europa]

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.