Divulgação/ Fivb
Divulgação/ Fivb

Brasil cai diante da Bulgária na casa da rival e sofre 2ª derrota na Liga Mundial

Competição é a primeira da equipe desde a saída de Bernardinho do comando técnico

Estadão Conteúdo

11 de junho de 2017 | 19h06

A seleção brasileira masculina de vôlei sofreu neste domingo a sua segunda derrota nesta edição da Liga Mundial ao ser batido pela Bulgária por 3 sets a 1, com parciais de 25/22, 25/19, 23/25 e 25/19, em Varna, casa dos adversários, no fechamento da segunda semana de disputas na competição.

Assim, o Brasil passou a contabilizar quatro vitórias e dois revezes em seis partidas realizadas em sua campanha no torneio, no qual o time nacional já tem presença assegurada na fase final pelo fato de o País ser a sede deste estágio derradeiro, que desta vez ocorrerá na Arena da Baixada, em Curitiba, entre os dias 4 e 8 de julho.

Essa Liga Mundial marca a primeira grande competição da seleção masculina após a saída do supervitorioso técnico Bernardinho, que se aposentou da equipe nacional após conquistar o histórico tricampeonato olímpico nos Jogos do Rio, em 2016.

Agora sob o comando de Renan Dal Zotto, a equipe brasileira inicia o seu novo ciclo olímpico que visa principalmente os Jogos de Tóquio, em 2020, e agora mira a terceira semana de disputas da Liga Mundial, que ocorrerá em Córdoba, na Argentina, onde enfrentará novamente a Bulgária, a seleção da casa e a Sérvia respectivamente nos próximos dias 16, 17 e 18.

Maior campeão da Liga Mundial, com nove títulos, o Brasil almeja uma histórica décima conquista neste ano, quando também espera encerrar um jejum de taças da competição que dura desde 2010, sendo que de lá para cá amargou vice-campeonatos em 2011, 2013, 2014 e 2016.

Derrotada neste domingo, a seleção brasileira teve o oposto Renan como maior pontuador, com 13 acertos, enquanto os ponteiros Maurício Borges e Lucarelli vieram pouco atrás com 12 e 10 pontos, respectivamente. Tsvetan Sokolov, com 19 pontos, foi o grande nome da partida pela Bulgária, que ainda teve Nikolay Nikolov fazendo outros 12.

Como o Brasil já está classificado para a fase final, Renan Dal Zotto está aproveitando estas primeiras semanas da Liga Mundial para promover testes antes de encontrar a formação ideal para o estágio derradeiro da competição.

"O momento era de botar essa garotada para jogar. A Liga Mundial é uma competição extremamente equilibrada e o saldo até agora fica positivo porque todos tiveram chances de jogar um pouco", afirmou o treinador, após a derrota para a Bulgária, em declarações reproduzidas pelo site oficial da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

E o Brasil estará mais forte a partir desta terceira semana de disputas da Liga Mundial, pois passará a contar com os experientes Wallace, Lipe e Raphael, que ficaram foram das duas primeiras porque precisavam de descanso após defenderem os seus respectivos clubes recentemente. "Agora, na reta final, vamos estar com o grupo completo para a Argentina e depois para a fase final, em casa", destacou Renan Dal Zotto.

Antes de cair diante da Bulgária, o Brasil também foi derrotado pela Polônia em sua estreia nesta Liga Mundial, em Pesaro, na Itália, onde depois bateu o Irã e os donos da casa. Em seguida, passou pelo Canadá e deu o troco nos poloneses em solo búlgaro, onde voltou a perder para os donos da casa, que contaram com forte apoio de seus torcedores no lotado Palace Of Culture and Sports, em Varna.

Neste último duelo na Bulgária, o Brasil entrou jogando com Murilo Radke, Renan, Otávio, Maurício Souza, Maurício Borges e Lucarelli, além do líbero Thales. Tiago Brendle, Bruno, Rodriguinho, Eder e Lucão entraram no decorrer do confronto.

O Brasil fechou esta segunda semana de disputas da Liga Mundial na terceira posição na classificação geral, com 13 pontos, enquanto a França, única invicta até aqui, contabiliza 18 na liderança. A Sérvia, com apenas uma derrota em seis jogos, é a vice-líder, com 15.

Tudo o que sabemos sobre:
VôleivôleiBrasilBulgária

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.