Brasil diz que finais do Grand Prix serão teste valioso

No começo de um novo ciclo olímpico, a seleção brasileira feminina de vôlei cumpriu o seu primeiro objetivo no Grand Prix ao se classificar para as finais com a vitória deste domingo sobre o Casaquistão. Para o técnico José Robério Guimarães, a etapa final do torneio será um valioso teste para uma equipe que apresentou algumas caras novas na fase de classificação, como Gabi e Priscila Daroit.

AE, Agência Estado

18 de agosto de 2013 | 13h56

"Alcançamos nosso primeiro objetivo que era a classificação para a Fase Final. Sabíamos que seria complicado pela divisão dos grupos. A fase final nos dá a possibilidade de jogar contra as melhores seleções do mundo. A nossa equipe precisa ser testada e passar por situações difíceis. Vamos enfrentar diferentes escolas sem muito tempo para treinar, pois jogamos em sequência", disse.

O Brasil se classificou para as finais na segunda colocação e agora terá pela frente as seleções da China, Sérvia, Estados Unidos e Itália e o anfitrião Japão entre os dias 28 de agosto e 1º de setembro em Sapporo. A central Thaísa aposta em uma disputa bastante equilibrada.

"Viemos para essa terceira etapa com o objetivo de conseguir a classificação. O campeonato está muito equilibrado. Na fase final todos os jogos serão decisivos. Teremos uma final por dia. Nosso grupo está bem e cada vez mais entrosado. Estamos com um time novo que está se ajudando muito. Isso que é o mais importante", disse Thaísa.

A central foi o principal destaque brasileiro no triunfo diante do Casaquistão ao fazer 17 pontos. "Comecei um pouco travada, mas o Zé Roberto e a comissão técnica me ajudaram bastante. Estou entrando em ritmo de jogo e eles me apoiaram em vários momentos. Tenho que agradecer a eles e as meninas que estão me dando muito força. Estou correndo atrás e daqui a pouco estarei de volta a minha melhor forma", afirmou.

Já Zé Roberto aprovou a atuação do Brasil diante do Casaquistão. "O time jogou concentrado e sabendo que precisava da vitória. Trabalhamos muito bem no sistema defensivo e na relação do bloqueio com a defesa. De maneira geral, nosso comportamento foi ótimo. A partida também foi boa para darmos ritmo de jogo para todas as jogadoras. Foi uma boa vitória", analisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.