Divulgação
Divulgação

Brasil elege Itália como grande rival na Copa dos Campeões

Seleção feminina de vôlei ainda não enfrentou neste ano a equipe vencedora do último Campeonato Europeu

Redação,

22 de outubro de 2009 | 17h48

A seleção brasileira feminina de vôlei domina o cenário mundial do esporte desde que conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim (2008). Neste ano, já faturou seis torneios, entre eles o Grand Prix e o Campeonato sul-americano.

Veja também:

linkAguero não irá mais jogar pela Itália

linkNatália Martins no lugar de Fabiana

No entanto, até o momento não enfrentou a Itália, sensação europeia da temporada, que venceu o último Campeonato Europeu, disputado na Polônia. O confronto tão esperado acontecerá na Copa dos Campeões, com início marcado para 10 de novembro no Japão.

"É preciso manter tudo o que foi feito até o momento. A Copa dos Campeões é mais um torneio importante. Ainda não jogamos com a Itália este ano, e é um time que conta com jogadoras bastante experientes, na faixa etária entre 30 e 32 anos, como a Del Core, Lo Bianco e Piccinini. Recebemos a informação de que a Aguero não irá jogar mais pela seleção italiana, mas a Ortolani, que entrará em seu lugar, é também uma grande jogadora", afirmou o técnico José Roberto Guimarães.

"A seleção da Itália está muito bem, conquistou o Europeu com apenas dois sets perdidos. Essa possibilidade de enfrentar as campeãs continentais será muito legal para testar o nosso time", disse o treinador.

Na Copa dos Campeões, o Brasil estreia contra a República Dominicana. Depois, em sequência, encara Japão, Coreia do Sul, Itália e Tailândia. O time que somar mais vitórias será o campeão.

LESÃO

Zé Roberto ainda lamentou a ausência da meio-de-rede Fabiana no torneio. Com uma tendinite no ombro direito, ela foi cortada e deu lugar para Natália Martins.

"É um pecado não poder contar com a Fabiana. Porém, o mais importante é a integridade da jogadora para que ela possa voltar bem", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.