Felice Calabro/AP
Felice Calabro/AP

Brasil estreia no Mundial com 3 a 0 sobre a Tunísia

Com o resultado, seleção sai na frente no Grupo B da competição, que tem também Cuba e Espanha

AE, Agência Estado

25 de setembro de 2010 | 13h29

O Brasil não teve trabalho para estrear com vitória no Mundial Masculino de Vôlei, que está sendo disputado na Itália. Neste sábado, o time comandado por Bernardinho deu o primeiro passo rumo ao tricampeonato ao bater a frágil Tunísia por 3 sets a 0, com parciais de 25/12, 25/21 e 25/14, em Verona.

Com o resultado, o Brasil saiu na frente no Grupo B da competição, que terá o confronto entre Cuba e Espanha também neste sábado.

O destaque brasileiro na partida foi Murilo, com nove acertos. O maior pontuador, no entanto, foi o tunisiano Kaabi, com 13.

A equipe de Bernardinho entrou em quadra com Bruninho, Leandro Vissotto, Giba, Murilo, Lucão e o líbero Mário Júnior. Superior desde o começo e quase sem errar, o Brasil fechou o primeiro set em 25 a 12 em apenas 24 minutos.

Na segunda parcial, o time bicampeão mundial foi mais exigido. E também tomou um susto quando o oposto Leandro Vissotto sentiu o calcanhar depois de um salto e precisou ser substituído por Theo. Mesmo desperdiçando vários contra-ataques e vendo o rival ficar à frente no placar no início, a equipe fez 25 a 21, em 23 minutos.

No terceiro set, o Brasil voltou a imprimir um ritmo forte e fez 25 a 14, em apenas 20 minutos, sem tomar sustos. Agora, a equipe volta à quadra no domingo, para enfrentar a Espanha.

Desfalque. Bernardinho ganhou uma grande dor de cabeça para resolver no Mundial. O levantador Marlon foi afastado dos jogos da primeira fase e é dúvida para a sequência do campeonato em virtude de suspeita de Doença de Crohn - inflamação crônica intestinal que causa diarreia, dores abdominais, febre, perda de peso, mal-estar e cansaço. O jogador fará uma colonoscopia na segunda-feira para diagnosticar o que tem.

Com isso, o Brasil terá apenas Bruninho como levantador na primeira fase, já que a Federação Internacional de Vôlei proíbe substituições depois do início do campeonato. Bernardinho, portanto, ficará impossibilitado de inverter o esquema tático 5-1, como costuma fazer nos finais de sets.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.