Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE

Brasil evolui e bate novamente a Polônia pela Liga Mundial

Nova geração da seleção brasileira de vôlei joga melhor do que no sábado e vence no Ibirapuera por 3 sets a 0

Rafael Vergueiro, estadao.com.br

14 de junho de 2009 | 11h48

Com menos trabalho do que na estreia, o Brasil conquistou neste domingo a segunda vitória na Liga Mundial de vôlei. Sem cometer tantos erros em bolas fáceis como havia acontecido no sábado, a seleção brasileira masculina voltou a superar a Polônia no ginásio do Ibirapuera, por 3 sets a 0, com parciais de 25/20, 25/20 e 25/15.

Veja também:

linkBernardinho elogia crescimento da seleção após vitória

lista  Todas as notícias da Liga Mundial 2009

Em relação ao time do dia anterior, o técnico Bernardinho iniciou a partida com duas alterações: tirou Éder e João Paulo Tavares e colocou em quadra Sidão e Thiago Alves, também integrantes da nova geração da equipe.

Mas o principal destaque da partida foi o meio-de-rede Lucas, que destruiu a defesa polonesa com saques muito pontentes e foi praticamente perfeito tanto no bloqueio como no ataque. O oposto Rivaldo brilhou menos do que no sábado, mas não comprometeu quando exigido.

Os jogadores mais conhecidos do público - Murilo, Bruno Rezende, e Serginho, os três atletas do grupo que estiveram presentes na Olimpíada de Pequim - também fizeram uma boa exibição e devem ser mantidos como base do time durante o torneio.

O Brasil, que busca seu oitavo título na Liga Mundial, volta a jogar na próxima sexta-feira, às 10 horas, quando encara a Finlândia em Brasília pelo Grupo D da competição.

POUCAS OSCILAÇÕES

Sem a ansidade que fez o time cometer muitos erros no confronto de sábado, a seleção brasileira iniciou bem a partida e não deu quase nenhuma chance de reação ao adversário. Bem no bloqueio e sacando forte, a equipe logo abriu uma vantagem de cinco pontos, que manteve até o fim do primeiro set.

Lucas chegou a fazer dois pontos de saques seguidos no quinto e sexto pontos e fez o público paulista vibrar no Ibirapuera. Na rede, ele se destacava ao lado de Murilo e dificultava a ação do ataque polonês.

Nas parciais seguintes, a história praticamente se repetiu e o Brasil caminhou com tranquilidade rumo ao triunfo. Thiago Alves, que colocou 14 vezes a bola no chão, foi o maior pontuador.

Contente com o desempenho dos seus comandados, Bernardinho mexeu pouco na equipe e apenas em alguns momentos colocou em quadra Leandro Vissotto e o levantador Marlon.

EVOLUÇÃO NO LEVANTAMENTO

Bernardinho costuma ressaltar em suas entrevistas que o agora titular Bruno Rezende tem uma das missões mais difíceis na seleção. Afinal, segundo ele, o Brasil teve três excelentes levantadores nas últimas geraçoes: Maurício, Ricardinho e Marcelinho.

No entanto, o jogador correspondeu às expectativas do treinador e pai neste domingo e fez uma de suas melhores partidas com a camisa amarela. Bem na distribuição de bolas, driblou o bloqueio polonês na maior parte dos lances e mostrou que pode manter o alto nível na posição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.