Brasil exalta bronze no Grand Prix após ser obrigado a dividir atenção com o Pan

Depois de fechar a primeira fase do Grand Prix de forma invicta, a seleção brasileira feminina de vôlei acabou tendo de se contentar com a medalha de bronze da competição encerrada neste domingo, em Omaha, no Estados Unidos, onde o time nacional fechou sua campanha derrotando a Itália por 3 sets a 1, com parciais de 25/18, 25/27, 30/28 e 25/18.

Estadão Conteúdo

27 de julho de 2015 | 12h41

No estágio derradeiro do torneio, o Brasil acabou caindo por 3 sets a 0 diante de Estados Unidos e Rússia, respectivas campeã e vice-campeã do Grand Prix, mas o fato de ter se visto obrigado a dividir as suas atenções com os Jogos Pan-Americanos de Toronto fez o lugar no pódio ser valorizado de forma mais significativa neste domingo.

Antes da fase aguda do Grand Prix, o técnico José Roberto Guimarães acabou indo para o Canadá e deixou o time nacional sob o comando de Paulo Coco, seu auxiliar, assim como levou para o Pan Jaqueline, Fê Garay e Camila Brait. Para completar, Fabiana, Thaísa e Sheilla ficaram de fora desta fase final por causa de lesões.

"Conseguimos o nosso objetivo, que era estar no pódio, e estamos felizes. Fizemos um Grand Prix muito regular. Das 14 partidas que tivemos, nós jogamos mal realmente em uma, o jogo contra a Rússia pela fase final. Foi muito importante a participação de todos, como parte da comissão técnica e as jogadoras que estão no Pan que participaram das duas primeiras semanas no Grand Prix", ressaltou Paulo Coco.

O comandante também destacou o fato que várias jogadoras, que normalmente não são escaladas como titulares ou atuam por pouco tempo, também puderam provar o seu valor. "Na fase final, algumas atletas que atuaram menos nas primeiras etapas, tiveram a chance de jogar mais e foram bem. Também conhecemos jogadoras mais de perto e tivemos a chance de observar o comportamento delas diante dessas grandes equipes. Isso será importante para definirmos o grupo para os Jogos Olímpicos do Rio. O balanço é muito positivo e tenho que agradecer ao Zé Roberto pela oportunidade de dirigir pela primeira vez uma seleção adulta", completou.

No fim, o Brasil fechou a sua campanha com 12 vitórias e apenas duas derrotas e subiu ao pódio pela 17ª vez no Grand Prix, competição no qual ostenta o status de maior campeão, com 10 títulos, enquanto os Estados Unidos, com seis ralas, são o país que estão logo atrás das brasileiras no ranking de conquistas do torneio.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiGrand PrixBrasilPan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.