FIVB/Divulgação
FIVB/Divulgação

Brasil massacra Cuba e assume 2.º lugar no Grand Prix de vôlei

Seleção feminina ganhou por 3 sets a 0, com parciais de 25/17, 25/12 e 25/14, em Ningbo

AE, Agência Estado

29 de junho de 2012 | 08h49

NINGBO, CHINA - A seleção brasileira feminina de vôlei conseguiu a segunda vitória na fase final do Grand Prix, que está sendo realizada em Ningbo, na China. Nesta sexta-feira, a equipe não encontrou qualquer dificuldade para vencer Cuba por 3 sets a 0, com parciais de 25/17, 25/12 e 25/14, em 1 hora e 4 minutos.

O resultado deixou o Brasil com sete pontos, em segundo lugar na fase final do Grand Prix, atrás apenas dos Estados Unidos, que estão com oito e venceram nesta sexta-feira a Turquia por 3 sets a 1, com parciais de 25/18, 25/23, 21/25 e 25/20.

O Brasil volta a jogar neste sábado, a partir das 2 horas (de Brasília), contra a Tailândia, que perdeu os dois jogos que disputou na fase final do Grand Prix e ainda enfrenta nesta sexta-feira a seleção chinesa.

"Conseguimos impor o nosso ritmo desde o início. Não deixamos as cubanas jogarem. Foi uma boa atuação. Agora já voltamos a nossa atenção para a Tailândia, que tem um jogo completamente diferente de Cuba. Elas jogam com muita velocidade e combinações", afirmou a central Adenízia, maior pontuadora do jogo, com 10 acertos.

O Brasil começou o jogo com uma formação diferente das últimas partidas. Adenízia, Fernandinha e Fernanda Garay foram escaladas como titulares, em substituição a Fabiana, Fabíola e Jaqueline, respectivamente.

Assim, a equipe iniciou o duelo com Fernandinha, Sheilla, Paula Pequeno, Fernanda Garay, Adenízia e Thaisa, além da líbero Fabi. Dani Lins, Juciely, Mari e Jaqueline entraram durante o duelo com Cuba, em que o técnico José Roberto Guimarães aproveitou para dar ritmo de jogo ao grupo.

"O time fez a sua parte. Fizemos 13 pontos de saque. Nosso bloqueio e os contra-ataques também funcionaram. O jogo foi importante para dar ritmo a todas as jogadoras. Já temos que pensar nos próximos confrontos contra a Tailândia e a Turquia", analisou o treinador.

A ponteira Fernanda Garay exaltou o desempenho do Brasil, que se impôs diante das cubanas. "Foi uma boa partida. Conseguimos parar o ataque cubano. Nunca é fácil jogar contra Cuba, mas quando a nossa relação entre bloqueio e defesa funciona o nosso jogo acaba saindo. Não podemos deixar o time delas entrar na partida e foi isso que aconteceu hoje", disse.

O Brasil conseguiu jogar com velocidade no começo do primeiro set e contou com uma boa sequência de Adenízia no saque para abrir 11/5. As cubanas ainda tentaram reagir e diminuíram a vantagem brasileira para apenas dois pontos - 18/16. Depois desse susto, as brasileiras retomaram o controle do jogo e fecharam a parcial em 25/17.

No segundo set, a seleção de Cuba chegou a equilibrar o duelo no começo, mas voltou a ser facilmente superada. O Brasil abriu 10 pontos de vantagem - 19/9 - e posteriormente fechou a parcial em 25/12.

Como a seleção brasileira dominava completamente o duelo, Zé Roberto aproveitou o terceiro set para promover as entradas de Dani Lins, Juciely e Mari, que substituíram, respectivamente, Fernandinha, Thaisa e Sheilla. Mesmo assim, a equipe manteve o jogo sob controle e fechou a parcial em 25/14 e o jogo em 3 sets a 0.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.