FIVB/Divulgação
FIVB/Divulgação

Brasil perde, fica em 2.º e torce contra rivais na Liga Mundial

Seleção foi derrotada pela Polônia por 3 sets a 1, com parciais de 25/22, 25/23, 21/25 e 25/22

AE, Agência Estado

17 de junho de 2012 | 12h59

TAMPERE, FINLÂNDIA - A seleção brasileira masculina de vôlei não depende mais das suas forças para disputar a fase final da Liga Mundial. Neste domingo, a equipe perdeu para a Polônia por 3 sets a 1, com parciais de 25/22, 25/23, 21/25 e 25/22, em Tampere, na Finlândia, em duelo que valia a liderança do Grupo B.

Com o resultado, a seleção polonesa garantiu o primeiro lugar da chave, com 29 pontos, e garantiu a classificação automática para as finais da Liga Mundial. Já o Brasil, que ficou em segundo lugar com 26, dependerá dos resultados dos outros grupos para definir se jogará a fase decisiva do torneio.

As finais da Liga Mundial estão marcadas para o período entre 4 e 8 de julho, em Sofia, na Bulgária. A disputa envolverá a equipe anfitriã, as vencedoras dos quatro grupos e a melhor segunda colocada das chaves. É a esta vaga que o Brasil aspira para seguir na disputa da Liga Mundial.

A vitória deste domingo confirmou o melhor retrospecto da Polônia diante do Brasil nesta Liga Mundial. Em quatro duelos, a equipe dirigida por Bernardinho conseguiu apenas uma vitória, em casa, por 3 sets a 1, mas perdeu no Canadá e na Polônia, ambos por 3 a 2, e agora na Finlândia por 3 a 1.

O JOGO

Bernardinho optou pela escalação de Bruninho, Wallace, Sidão, Lucão, Murilo e Thiago Alves, além do libero Serginho, como titulares. Enquanto isso, Leandro Vissotto, mais pontuador da equipe, com 19 acertos, Ricardinho e Rodrigão entraram durante o duelo. Já Giba não participou do jogo após retornar no sábado, depois de se recuperar de lesão na canela esquerda.

Neste domingo, a Polônia começou melhor a partida decisiva na Finlândia, passou a liderar o placar e foi ao primeiro tempo técnico vencendo por 8/7. O Brasil, porém, reagiu e fez 16/15. No entanto, os poloneses anotaram cinco pontos consecutivos e venceram por 25/22.

Liderada por Kurek, maior pontuador do jogo, com 21 acertos, a Polônia dominou o segundo set e liderou o placar desde o início, com vantagens de dois - 8/6 - e quatro pontos - 16/12 - em cada parada técnica. O Brasil ainda se recuperou no final, em uma sequência de Vissotto no saque, mas não conseguiu evitar a nova derrota, dessa vez por 25/23.

A seleção brasileira melhorou no terceiro set, quando passou a cometer menos erros, e reverteu uma desvantagem de três pontos (8/5) para abrir cinco (16/11). O bloqueio também cresceu e a equipe fez seis pontos apenas nesse fundamento. Assim, conseguiu vencer a parcial por 25/21.

Mas o bom nível não foi mantido no quarto set. O Brasil cometeu sete erros e o bloqueio não funcionou - a equipe fez apenas um ponto desse modo. Assim, a Polônia quase sempre liderou o placar (8/7 e 16/14 nos tempos técnicos), venceu por 25/22 e deixou a seleção dirigida por Bernardinho correndo enorme risco de ser eliminada precocemente na Liga Mundial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.