Divulgação
Divulgação

Brasil prega atenção para última rodada do Grand Prix

Seleção feminina está em 6.º lugar na classificação geral do torneio

AE, Agência Estado

14 de agosto de 2013 | 16h53

ALMATY - Depois de somar cinco vitórias e uma derrota nas duas primeiras semanas de disputa do Grand Prix, a seleção brasileira feminina de vôlei se prepara agora para encarar a terceira e última rodada da etapa de classificação. E prega atenção total nas três partidas restantes, a partir desta sexta-feira, diante de Cuba, às 6 horas (horário de Brasília), em Almaty, no Casaquistão, para confirmar a sua vaga na fase final do torneio.

O Brasil está em sexto lugar na classificação geral do Grand Prix, o que lhe daria a última vaga na fase final. Avançam as cinco melhores seleções, mas o Japão, atualmente na segunda posição, já está previamente assegurado por ser o anfitrião da disputa do título, que será entre os dias 28 de agosto e 1º de setembro, na cidade japonesa de Sapporo. Por isso, a seleção brasileira ainda precisa de bons resultados para seguir viva.

Além de Cuba na sexta-feira, o Brasil jogará contra Holanda no sábado e o anfitrião Casaquistão no domingo, quando a acaba a fase de classificação do Grand Prix. O grupo chegou nesta quarta a Almaty, depois de ter atuado em Porto Rico no último fim de semana. Enfrentou uma viagem de 16 horas de voo, sem contar a espera em aeroportos, e trabalha agora para se adaptar ao fuso horário de nove horas de diferença em relação a Brasília.

"Depois da última fase (quando o Brasil perdeu para a Bulgária), ficou claro que precisamos entrar muito atentas em todos os jogos. Espero dificuldades essa semana, porque não tem time bobo no Grand Prix. Cuba vive uma renovação, mas sempre será um jogo difícil, a Holanda se reforçou depois dos amistosos no Brasil (antes do Grand Prix, quando foram três vitórias brasileiras) e o Casaquistão vai jogar em casa. Sabemos que só dependemos de nós para nos classificarmos para a fase final. Precisamos estar muito concentradas", afirmou a central Thaísa.

Assim como a líbero Fabi, Thaísa voltou a defender a seleção na última rodada do Grand Prix, em Porto Rico. As duas estavam sem jogar pelo Brasil desde a conquista do bicampeonato olímpico nos Jogos de Londres, no ano passado - no começo da temporada, elas ganharam uma folga do técnico José Roberto Guimarães. "Já estava com saudades de representar meu País. Mesmo sem estar 100%, é uma felicidade enorme estar no grupo. Estou muito motivada e sei que ainda posso evoluir e ajudar as meninas na fase final", disse a central.

Tudo o que sabemos sobre:
vôleiGrand Prix

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.