Brasil prevê estreia difícil contra Turquia no vôlei

Técnico Zé Roberto Guimarães afirma que rival é uma das seleções que mais evoluíram

24 de julho de 2012 | 13h55

LONDRES - Há alguns anos, era inimaginável que, num grupo que tem Estados Unidos, Sérvia, China e Coreia do Sul, a seleção brasileira feminina de vôlei fosse se preocupar com a Turquia. Mas a adversária do Brasil na estreia dos Jogos de Londres, sábado, às 18h (de Brasília), é, nas palavras do técnico Zé Roberto Guimarães, a equipe que mais evoluiu nos últimos anos. Por isso, merece atenção redobrada da atual campeã olímpica.

"Estamos em um grupo forte. A Turquia é o time que mais se desenvolveu nos últimos anos e por isso nós precisamos estar atenção no nosso primeiro jogo. Logo depois, jogamos contra os EUA, que também obtiveram bons resultados nos últimos anos. Sabemos das dificuldades, mas nós podemos confrontar qualquer time do mundo", garante o técnico Zé Roberto Guimarães. Uma das principais jogadoras da equipe em Londres, eleita a melhor bloqueadora do último Grand Prix, a central Thaisa pede atenção não só com as adversárias, mas também com as tentações dos Jogos.

"Nosso grupo é forte e nós temos um bom teste de abertura contra a Turquia. Mas a Olimpíada é uma competição diferente. Conversamos com as jogadoras mais jovens sobre não se distrair e seguir focada até o fim." Uma das sete novatas em Olimpíadas que compõem o grupo, a ponteira Fernanda Garay revela ansiedade pela estreia. "A expectativa é muito alta. Esta é a minha primeira Olimpíada e tomara que joguemos uma boa competição. Claro que há a ansiedade, mas nós teremos um adversário difícil na estreia e estamos preparadas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.