Beach Majors/Malte Christians
Beach Majors/Malte Christians

Brasil quebra recorde de vitórias consecutivas no Mundial de Vôlei de Praia

Brasileiras alcançam 19 triunfos, superando marca do próprio País, de 18 em 1997

Redação, Estadão Conteúdo

02 de julho de 2019 | 18h16

Potência do vôlei de praia, o Brasil fez história nesta terça-feira ao quebrar o recorde de vitórias consecutivas em uma edição do Mundial da modalidade. Os brasileiros contabilizaram 19 triunfos seguidos na competição realizada em Hamburgo, na Alemanha, e superaram a marca que já era do próprio País, que era de 18 jogos de invencibilidade, alcançados no torneio em 1997.

As duplas do Brasil haviam fechado as disputas de segunda-feira justamente com 18 vitórias e nenhuma derrota até então no Mundial. E a 19ª veio com a parceria formada por Fernanda Berti e Bárbara Seixas superando as finlandesas Lahti e Parkkinen por 2 sets a 0, com parciais de 21/15 e 21/17, no primeiro confronto do dia do naipe feminino da competição.

Com o triunfo, Fernanda e Bárbara avançaram como líderes de sua chave à primeira fase eliminatória do Mundial, que é anterior às oitavas de final. E o fim da invencibilidade do Brasil no evento em solo alemão veio logo em seguida, com Carol Solberg e Maria Elisa sendo superadas pelas norte-americanas Larsen e Stockman por 2 sets a 1, com 24/22, 14/21 e 15/9.

Apesar do revés, a dupla brasileira também se classificou à próxima fase como vice-líder de seu grupo. Além delas, as parcerias nacionais Ágatha/Duda e Ana Patrícia/Rebecca já estavam garantidas no estágio seguinte do torneio como primeiras colocadas de suas respectivas chaves.

A próxima fase do naipe feminino será nesta quarta-feira, com 16 confrontos classificatórios para as oitavas de final. No mata-mata, Agatha e Duda enfrentarão as norte-americanas Kerri Walsh/Sweat; Fernanda Berti/Bárbara Seixas jogarão contra as austríacas Plesiutschnig/Schutzenhofer; Carol Solberg/Maria Elisa pegarão Alix Klineman/April Ross, dos Estados Unidos; e Ana Patrícia/Rebecca medirão forças com as chinesas Xu e Wang.

Fernanda e Bárbara mantiveram os 100% de aproveitamento no Mundial nesta terça-feira e a primeira delas foi a maior pontuadora do duelo contra Lahti e Parkkinen, com 17 acertos (15 ataques e dois bloqueios). "Foi um ótimo jogo, Bárbara defendeu e sacou muito bem, o vento estava dificultando para recepcionar em um determinado lado da quadra, mas soubemos contornar isso. Tivemos uma partida bastante consistente. A gente encarou cada jogo de maneira muito específica, passo a passo. São adversários diferentes, estilos específicos", afirmou Fernanda.

Bárbara, por sua vez, destacou após o triunfo: "Acho que tivemos uma atenção especial com a parte tática, desenvolvemos tudo que tínhamos estudado e combinado. Isso também ajudou no passe e nos levantamentos, estou muito feliz com nossa atuação. O nosso pacto é que o próximo jogo é sempre o mais importante, que o que vem na sequência tem que ser encarado com total atenção, vamos seguir assim, aplicadas e com muita vontade".

MASCULINO

Assim como no feminino, o Brasil entrou em quadra por duas vezes no naipe masculino nesta terça-feira no Mundial. Em um destes duelos, Alison e Álvaro Filho venceram os russos Semenov e Leshukov por 2 sets a 0 (26/24, 21/19), em 46 minutos, e avançaram à próxima fase como líderes do Grupo E.

"Foi um bom jogo, o time da Rússia é muito forte e sair em primeiro da chave é muito importante. Primeiro pela evolução do nosso time, vencer uma dupla que está crescendo bastante, que provavelmente estará nos Jogos Olímpicos de Tóquio e brigando por pódios, isso é muito bom. Vamos seguir olhando para frente. A primeira fase foi concluída, mas agora é descansar e olhar para frente, sempre pensando na evolução do nosso time", afirmou Alison após o triunfo sobre os russos.

"Foi um grupo bem difícil, terminar em primeiro lugar do grupo representa um dos objetivos que traçamos. Queremos descansar, aproveitar o dia e deixar o corpo pronto para a sequência do torneio. Vamos aguardar para sabermos quem será o próximo adversário para estudar bastante e seguir buscando o crescimento", completou Álvaro Filho.

Já a parceria formada por Pedro Solberg e Vitor Felipe foi superada pelos noruegueses Mol e Sorum, atuais líderes do ranking mundial, por 2 sets a 0 (21/14 e 21/15), em 39 minutos, mas foi ao estágio seguinte do torneio como vice-líderes de sua chave.

Outras duas duplas do Brasil encerram campanha na fase de grupos nesta quarta-feira: Evandro/Bruno Schmidt e André Stein/George, que pegam respectivamente a parceria espanhola Herrera/Gavira e a italiana Nicolai/Lupo. Já classificados ao mata-mata, os brasileiros só saberão os seus adversários da fase eliminatória nesta quarta.

Somando os desempenhos no masculino e feminino, o Brasil contabiliza 12 medalhas de ouro, nove de prata e dez de bronze em 11 edições do Mundial, que é o principal torneio da temporada do vôlei de praia, tem uma premiação total de US$ 1 milhão (US$ 500 mil para cada naipe) e distribui a maior pontuação no ranking da temporada.

Tudo o que sabemos sobre:
vôlei de praia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.