Brasil quer devolver derrota no vôlei

O confronto do fim de semana entre Brasil e Polônia pela Liga Mundial será uma espécie de tira-teima. Após sofrer a primeira derrota no torneio justamente para os poloneses, há duas semanas, em Goiânia, num encontro tenso e marcado por provocações de ambos os lados, os jogadores da seleção brasileira de vôlei querem sair da casa do adversário com duas vitórias. A primeira partida será amanhã, às 14 horas (de Brasília), no Ginásio Spodek, em Katowice. Sábado, às 10 horas, as equipes voltam a se enfrentar no mesmo local. "É só eles não atacarem a bola na nossa direção durante o aquecimento como fizeram em Goiânia... Se isso não acontecer, não vai ter problema nenhum", disse o meio-de-rede Henrique, lembrando o fato que desencadeou os desentendimentos. Para Giba, o melhor atacante nas estatísticas da competição (62,96% de aproveitamento), os jogos na Polônia prometem ser ainda mais "quentes". "Se eles nos provocaram daquele jeito no Brasil, imagine jogando em casa. Podemos esperar coisa pior." O capitão brasileiro Nalbert, que treinou com febre hoje de manhã, concorda. "Mas estamos preparados para ganhar na bola, na quadra." O técnico Bernardo Rezende, o Bernardinho, está preocupado com o bloqueio adversário, não com as provocações. "O bloqueio deles é alto e marca muito bem. Precisamos acertar o passe para jogar com velocidade." Já o treinador polonês Waldemar Wspanialy quer acalmar os ânimos de sua empolgada seleção, que na semana passada derrotou a Argentina por 3 a 1 e 3 a 0 e ocupa o segundo lugar do Grupo A, com 12 pontos, praticamente garantindo vaga na fase final, já que a Argentina tem de vencer os quatro confrontos que lhe restam, incluindo dois contra o Brasil. "Não podemos jogar na empolgação nem criar grandes expectativas. As vitórias contra a Argentina e, principalmente, contra o Brasil foram muito importantes, mas não querem dizer nada ainda", afirmou Wspanialy. Feminino - O Brasil pode ter o desfalque do assistente-técnico Luizomar de Moura, que sente dores renais, para o jogo de amanhã, às 7h30 (horário de Brasília), contra a Tailândia, no Fórum de Macau, pelo Grand Prix da Ásia. Sexta-feira, às 2 horas (horário de Brasília), o time de Marco Aurélio Motta enfrenta a Alemanha. O vencedor praticamente assegura vaga para as finais, entre os dias 1.° e 4, em Hong Kong.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.