Divulgação
Divulgação

Brasil reage, mas perde para os EUA no Grand Prix

Com derrota por 3 sets a 2 diante das americanas, seleção feminina de vôlei somou primeiro ponto

AE, Agência Estado

27 de junho de 2012 | 08h49

CHINA, Ningbo - A seleção brasileira feminina de vôlei estreou com derrota na fase final do Grand Prix, que está sendo realizado na cidade de Ningbo, na China. Nesta quarta-feira, a equipe reagiu após um começo ruim de partida, mas mesmo assim perdeu para os Estados Unidos por 3 sets a 2, com parciais de 25/19, 25/20, 20/25, 13/25 e 15/13, em 2 horas e 5 minutos. Na fase de classificação, as norte-americanas foram as responsáveis pela única derrota do Brasil em nove partidas disputadas.

A equipe volta a jogar nesta quinta-feira, às 8h30 (horário de Brasília), contra as anfitriãs chinesas e o técnico José Roberto Guimarães espera uma atuação melhor. "Os Estados Unidos jogaram muito bem principalmente no primeiro e no segundo sets. No terceiro começamos a jogar melhor, mas cometemos alguns erros no tie-break. Espero que o grupo tenha uma melhor atuação contra a China", disse.

A oposto Sheilla foi o principal destaque do Brasil e maior pontuadora do jogo, com 22 acertos, quatro a mais do que a ponteira Hodge, que teve o melhor desempenho entre as norte-americanas. "O time começou apático. Depois fomos nos encontrando. Sabíamos que essa partida seria difícil. As americanas defendem muito bem e têm muito volume de jogo. Nos recuperamos no confronto, mas não foi o suficiente. Agora, temos que pensar na China porque ainda tem muita competição pela frente", disse Sheilla.

Apesar da derrota, a líbero Fabi destacou o poder de reação do Brasil e avaliou que a equipe ainda está viva no Grand Prix. "Não começamos bem e isso não pode acontecer. Os Estados Unidos jogam muito bem taticamente e não cometem erros bobos. Crescemos no jogo, mas o tie-break foi decidido nos detalhes. Ainda temos chance e precisamos evoluir", afirmou.

O JOGO

O Brasil iniciou a sua partida de estreia na fase final do Grand Prix com Fabíola, Sheilla, Paula Pequeno, Jaqueline, Fabiana e Thaisa como titulares. Zé Roberto utilizou as líberos Fabi e Camila Brait e promoveu as entradas de Fernandinha, Mari, Adenízia e Fernanda Garay durante o duelo.

O início do primeiro set foi equilibrado, mas a norte-americanas foram ao primeiro tempo técnico com um ponto de vantagem (8/7). Depois, a seleção do Estados Unidos deslanchou. Zé Roberto trocou a levantadora Fabíola por Fernandinha e a ponteira Paula Pequeno por Fernanda Garay, mas não conseguiu evitar o triunfo norte-americano por 25/19.

Com a vitória, as norte-americanas começaram o segundo set embaladas e chegaram a fazer 8/2. O Brasil, porém, reagiu, conseguiu virar o placar para 13/12 e foi ao segundo tempo técnico à frente por 16/14. Mas o treinador Hugh McCutcheon fez mudanças na seleção dos Estados Unidos, que venceu a parcial por 25/20.

Com bom rendimento no saque e bloqueio, o Brasil cresceu no terceiro set e abriu 5/1 no começo. A equipe manteve o bom ritmo na parcial, foi ao segundo tempo técnico com vantagem de cinco pontos (16/11) e venceu por 25/20.

As brasileiras mantiveram o controle do duelo no quarto set, fizeram 8/4 no início e triunfaram com extrema facilidade por 25/13. No entanto, a reação da equipe dirigida por Zé Roberto foi interrompida no tie-break. A parcial decisiva foi muito equilibrada, mas as norte-americanas se deram melhor, venceram por 15/13 e o jogo por 3 sets a 2.

Também nesta quarta-feira, pela primeira rodada da fase final do Grand Prix, a Turquia venceu a Tailândia por 3 sets a 1, com parciais de 25/22, 25/21, 20/25 e 26/24.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.